Távola De Estrelas: Maio 2005

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Missão Impossível

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, maio 31, 2005 0 Carinhos de Luxo

Denis chegou finalmente ao céu . Admirado porque não pedira a ninguém tão
grande e indesejada dádiva , olhou à sua volta , naquele mar de azul que
lhe cegava os olhos. Quem era aquele majestoso desconhecido que erguido
e em pé , como se fosse uma gigantesca e indescritível cúpula , o fitava com
uma expressão ternamente paternal ?
- Quem és ? O que faço aqui ? - questionou Denis -
Muito calmamente e num tom de voz aveludado , do seu altar celeste , O
Supostamente Estranho perguntou-lhe :
- Saberes isso é importante para ti ?
- O que faço aqui ? - insistiu Denis -
- Porque perguntas ? - repetiu O Ser Suposto -
- Fui eu quem perguntou primeiro, responde-me ! - Teimou Denis
com uma expressão desconfortável e quase zangado -
- Constato que é melhor voltares para a Terra . - concluiu Deus .

Aquele branco intenso magoava-o ! E, que faziam todos os seus familiares e
amigos à sua volta? Não teve tempo de perguntar , a voz serena e tolerante
da mulher, interceptou-lhe os pensamentos :
- Denis , querido , por que te quiseste suicidar ?
Ficou pensativo por largos segundos e finalmente , finalmente respondeu :
- Sophie , tentei suicidar-me porque perdi o direito ao céu !



JouElam, 2001 - O Tecido Das Flores (Primeira publicação em 2004 ,MSN Groups Sonhos De Poeta)


Roseira Nocturna

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, maio 28, 2005 0 Carinhos de Luxo

Vinho De Rosas Amargas


Molhei minhas mãos
na fonte dos teus lábios
e
quando do sonho acordei ...
Nos meus dedos
um jardim de rosas vermelhas
morreu




JouElam - O Tecido Das Flores - 2805200515:34


Terei Tempo Para Sonhar Os Nossos Sonhos ?

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, maio 28, 2005 0 Carinhos de Luxo



Adeus
Minha doce lua azul
sim , tens razão
eu tropeçei
no luar
e caí como um cometa
na terra
e na cratera incendiada
agora
voam as cinzas
na hora que é chegada
(que tu nunca embarcaste)
e eu jamais entardecerei
na tua alvorada

JouElam , O Tecido Das Flores , 21:01


A Música

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, maio 26, 2005 0 Carinhos de Luxo

Onde Está ?

 


A música me envolve
atirando-me
para uma viagem
de sonhos ...
Espaço sem corpo ,
- Ó sim ! Gostava de apalpar as melodias ! -
Mas elas dançam invisíveis
Ó sim , eu posso vê-la , senti-la
Mas a tua sinfonia, como enxergá-la ?
Ouvir , sim , ouvir ! ...
Dar-te o palco
Entregar ao público
O aplauso
A reverência final
Triunfal
Mas ... quando ?

Amor , que ninguém te veja
Que ninguém te descubra
Que ninguém te toque
Ou revele
Porque há de chegar o dia
em que eu cobrirei a tua entrada ! ...
E direi a quem por ti perguntar:
- Sumiu , fugiu !
Está aqui, mas não a podem ver,
Vive em todos os anos
do meu cérebro
que não cessa de sonhar com ela ...

JouElam * O Tecido Das Flores * 18:34


O Mar

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, maio 25, 2005 0 Carinhos de Luxo

Ficando Aqui



uma quietude no vento que não sopra
No ar quente e abafado que entra pela janela
Nada se mexe ou agita
Tudo parece imóvel ,
Espaços de estátuas alagadas de suor
É calor-calor , não é o calafrio
Ou aquele que o frio cala
Se eu tivesse uma torneira
Ligada directamente ao mar
Poderia temperar-me no seu sal
Talvez um transporte
Me leve ao oceano ...

Tu esperas por mim ?
Ah ! Já esperaste demais ?
Espera , por favor ...
Porque eu vou chegar
Um dia ...
E tu também ...
Mergulhado na espuma
Das ondas que vestem
O aquático movimento
Do futuro ...

JouElam - O Tecido Das Flores


Coração Digital - A.I. (Introdução)

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, maio 24, 2005 0 Carinhos de Luxo

Não passo dum menino de aço
Repleto de fios e semicondutores
Transistores e ula´s
Minha voz electrónica soa a minha mãe
Como o ruído dum descascador de batatas
Meus passos de tamanho sempre igual
Permitem a ela adivinhar sempre
O tempo exacto das minhas tarefas
Ou brincadeiras
Não, eu não brinco,
Eu sou um menino de aço
Não tenho sentimentos
Não sei o que é essa coisa
A que chamam emoções
Nunca chorei na vida
Aliás, se chorasse morreria
Porque a água
É inimiga do meu processador central
Não sei o que é a tristeza
Ou o que é a alegria
E ...
Porém busco...
Procuro uma fada azul
Algures num recanto qualquer do universo
Esse é meu sonho primeiro
Meu sonho último
E meu sonho derradeiro
Será que encontro ela algum dia? ...
Ah , isso seria tudo o que eu quereria...!
E ...
Olhando para trás...
Reparo...
Estou começando a sentir ...
Sinto um aperto no meu aplicativo
Um sufôco que congestiona
Toda a minha informação
Tremo...
Será que vou avariar?...
Será que o meu sistema é defeituoso ?...

( entretanto abre-se um sonho com sua varinha de condão... )

- menino do laço , menino do laço , menino do laço !
-(eu estou comovido)
Varinha de estrelas , me trazes o mundo ?
o humano ?
- Menino do laço , com meu condão
semeio todas as emoções no teu coração ...
- E fadinha linda ir-se embora ... -

Entro
No meu quarto de placas e conexões ...
- Amor , anjo , finalmente ! ,
A inteligência foi-se embora ...
Já podemos unir nossos circuitos ...

(E a "inteligência" asperge estrelas-poemas de óvulos e sémen dançando no céu da mais bela constelação ..)






Luiz Sommerville Junior - Poemas Filmados 2005


Coração Digital - A.I.

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, maio 24, 2005 0 Carinhos de Luxo


Sou duma época em que a robótica
pode amar os humanos
e em que os humanos estão incapacitados
de me amarem
e de se amarem entre eles
talvez uma fada possa sossegar
os meus circuitos sem sangue
talvez as veias da fantasia
me devolvam
uma história suspirada ao adormecer
pela minha mãe
Sou menino repleto de circuitos e cpu's
não existem cirurgiões que possam
reprogramar a minha memória
a minha metaliforme emoção...
mas por uma noite de amor
eu venceria a mais gigantesca baleia
renunciaria ao mais vil João Honesto
seria artista de circo
e voltaria a casa cansado
com todo o meu aço enferrujado
Se o meu pai fossse o Gepetto
e a Disneylândia o meu lar
chamar-me-ia Pinóquio
mas eu não sou esse boneco-de-pau
não posso voltar para casa
tenho de regressar à oficina
ir para a manutenção
porque
não passo dum menino
de olhos bem fechados
dum infra-terreste que nasceu
da excêntrica comunhão
entre o Dr. Estranho-Amor e O Tubarão ...




Luiz Sommerville Junior , O Tecido das Flores (Poemas Filmados 2005)


Ternura Da Minha Carne

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, maio 23, 2005 0 Carinhos de Luxo

Brilho Pungente

Sou o artista do teu circo
o bailarino e o palhaço
o faquir e a lâmina d´aço
o truque da chama que não queima
contorcionista , trapezista , ilusionista
o artista das tuas aventuras

Anda!Vá!
aponta o projector
o maior espectáculo do mundo começa
luzes no palco e no actor
com guião da vida e do amor
és o sonho de mim
o mais puro e real fruto da carne

JouElam - O Tecido Das Flores - 2005


Trapézio

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, maio 23, 2005 0 Carinhos de Luxo


Quero fechar meus olhos enquanto oiço o teu beijo a ressoar-me no cérebro
"como se fosse a última vez".
Não , não sei que Deus colocou em mim o som destes violinos que me
levam pelo ar como se eu seja feito da leveza duma qualquer asa tecida no
ventre duma nuvem invísivel . Não sei se me encontro descalço,
acho que estou nú, não quero os tecidos das roupas a pesarem-me nesta
mente já de si tão entretecida de estranhas alfaias. Aí , onde tem um fio
mais fino e sedoso que a obra duma borboleta , fio colocado por cima da
Lua e no alto do Sol, atravessando uma distância infinita , aí coloco os
pés , endireito este corpo dorido e desafio a gravidade , este é o meu
espectáculo , cá em baixo uma criança (pelo menos uma) reza , implora
e grita :

- Não caias , não caias ! Pai ! ...

JouElam - O Tecido Das Flores


Romeu de Julieta

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, maio 21, 2005 0 Carinhos de Luxo

O Rei Da História

Acordei
Mas desta vez
O Gato Das Botas
Não me veio chamar
O Tedy no chão
Ficou a chorar
- Deixa lá ...
O Crocodilo morreu
O dinossauro extinguiu-se
O Batman nunca existiu
O Super Homem usava óculos de sol
O Pinóquio foi sempre de pau
O Peter Pan não parou de crescer
A Fada Sininho é uma campainha
A Rua de Sésamo tem muito trânsito
Todos os brinquedos do mundo
São uma forma de enganar
Desta vez
O Gato Das Botas
Não me veio chamar
- Deixa lá ...
Ninguém irá adivinhar
Mas nós sabemos
Que as histórias que faltam inventar
As fábulas que vamos calar
Hão-de vingar
Ah , agora queres histórias
De Julietas e Romeus ! ...
Vou-te contar
Julieta não morreu
Romeu ainda não a conheceu
A história agora é tua

Muda–a !


JouElam - O Tecido Das Flores - 20.05.2005


Minha Noite

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, maio 20, 2005 0 Carinhos de Luxo

Nocturno

Tenho saudade
Muita saudade...
Hoje
Sinto-me morrer
E tu podias vir
Podias chamar-me
Ou
Eu podia ir
Podia chamar-te
Mas
Não sei se é tarde
E tu também não
Quando eu for
Ao teu funeral
Ou tu ao meu
As flores vão chorar
Pelos tecidos
Que não se cruzaram
Definitivo entardecer
Em
Jardins ausentes

JouElam - O Tecido Das Flores - 19.Maio.2005


Bad Dream

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, maio 02, 2005 0 Carinhos de Luxo



Sonho

amnésia da vigília


caí abaixo da cama !

- O meu colchão teve um pesadelo !




JouElam - O Tecido Das Flores , 02050517:01