Távola De Estrelas: Junho 2005

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Emoção - Pinóquio

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, junho 30, 2005 0 Carinhos de Luxo


O amor inteligente
é aquele amor que não é inteligente
é aquele amor
que não grita
canta
aquele amor que não bate
acaricia
aquele amor que não fala
beija
aquele amor
que não fica na cama
falando da pintura do tecto
mas que com amor
faz amor no tecto da cama
O amor inteligente
é aquele amor que não é inteligente
aquele amor
que não se zanga
abre os braços
e com um abraço faz a paz
O amor inteligente
é aquele amor que não é inteligente
aquele amor
que não é João Honesto
é Fada Azul
Não é preciso ser inteligente para amar
é mesmo desnecessário
... mas é preciso amar
para ser inteligente
e necessário ...


Jouelam - O Tecido Das Flores, Poemas Filmados, 30062005 09:56


Alice In Wonderland - Poemas Filmados

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, junho 03, 2005 0 Carinhos de Luxo

O coelho maroto
que nunca abandonou a história
guarda no bolso
a alma das palavras
e bate na porta dum cineasta...
- Senhor , senhor !
acenda as luzes ,
ligue a câmara ,
este é o seu filme !
e no genérico lê-se ,
protagonista principal :
- Um relógio desgovernado...


JouElam - in Bandolins Dezembro de 2005


Missão Impossível IV

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, junho 01, 2005 0 Carinhos de Luxo

Quem diria que um morto volta à vida ? …
Alguém acredita numa coisa dessas ?
… mas voltou …
… Está no deserto …aí não há ninguém … devido à elevada
temperatura e à falta de água entra em alucinação … e vem alguém …
refresca o seu corpo , o descansa , lhe dá de beber … ele aos poucos
começa a recuperar a lucidez… e abre os olhos … e pode ? …
… É um morto que lhe dá de beber … que o sossega e refresca…
impossível … completamente impossível … estamos no deserto …
no deserto nem mortos existem…
E recebe um beijo profundo …. e estão lúcidos , sim mudou ,
mudou a pessoa do verbo , não está , estão .
Recebe um beijo profundo …. que importa o resto ?….
Vês ? Para amar, basta amar , nada mais é necessário …
Quem o beijou ? Um morto ?… os mortos beijam ?…
E no deserto , aí ou aqui , onde o ninguém existe ,
ouve-se uma voz :
- Sim amor , beijam …
- Sophie , és tu ?
- sim , amor, sou . — responde Sophie –
- Deus , ó Deus ! , estamos no céu, Deus ? … – Denis questiona –
(e pela primeira vez Deus dá uma resposta)
- Sim , estão no céu…

JouElam – O Tecido Das Flores - 31.05.2005