Távola De Estrelas: Outubro 2008

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Borderline

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, outubro 29, 2008 0 Carinhos de Luxo

Na linha d' água
não sabemos
se o que nos inunda
é o rio , que se encontra por baixo
ou o céu que está por cima
 


Serei a Ponte

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, outubro 14, 2008 0 Carinhos de Luxo

No quarto triste em que me disperso,
Olho para os lados, para o teto.
Só o que me consola neste instante: meu verso.
Momento íntimo a que tanto me entrego.

Nada do que vejo aqui me anima.
Tudo é tão distante dos meus sonhos,
Da mente que longe flutua, muito acima...
Deste lugar e de todos os seus desencantos.

No meu mundo, sonhando solitária,
Um novo lugar, uma justa batalha,
E não mais ficarei tão calada,

Saberei transformar a dor em arte,
Serei a ponte entre a esperança e o horizonte,
Ilha bela, distante, onde a dor nada vale!



Daniele Dallavecchia,14102008


Sou Dele

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, outubro 13, 2008 0 Carinhos de Luxo

Amo me ver refletida dentro dos teus olhos,
Saber que me olhas dum jeito como se eu
Fosse rosa única em teus jardins tão fartos.
Coração quente, amor irremediavelmente meu.

Amo sentir todo essa intensidade no teu querer.
Sou enlouquecida, a paixão acima da paixão.
Fui feliz quando fiquei cega para a razão,
Conhecendo as maiores emoções com você!

Ah, sentimento profundo, cravado em meu coração.
Fui a eleita, num céu de estrelas multicoloridas,
Pelo mais belo dentre os homens, meu Estevão.
Vivendo um amor perfeito, por inteiro e para toda vida.



Daniele Dallavecchia,13102008


Gente Sofrida

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, outubro 13, 2008 0 Carinhos de Luxo

A luta diária pela sobrevivência
De um povo tão sofrido e aguerrido,
Que vive uma vida inteira de esperança,
E mesmo na dor, ainda conserva seu sorriso.

Uma gente que pede forças a Deus
E luta de sol a sol... Quanto sacrifício!
Não desistem nunca e sonham para os seus
Diferente destino, um outro ofício.

Terra tão pisada, cheia de amargura.
Sofreram seus avós, seus pais, seus irmãos.
Levantam muito cedo. Para eles a vida é dura.
E na missa, atentos, ouvem do padre os sermões.

Nunca perdem a fé de um dia conseguir,
Uma casa bela com cheirinho de jasmim.
Sabem que o homem bom há de um dia ter
Do Senhor nosso Deus um honrado fim.


Daniele Dallavecchia, 13102008


Borboletas na Janela

Postado: Daniele Dallavecchia On sábado, outubro 11, 2008 2 Carinhos de Luxo


Pela janela do meu coração,
observo a marcha da tua estrela,
noite e dia, sigo quieta o teu rastro,
sinto no ar o teu aroma, ouço a tua música...
Tua voz faz morada no meu pensamento,
e tudo me faz lembrar de um tempo
onde as cores habitavam meu céu...
Não há limite para a dor e
nem para este amor...
Nada em mim encontra um fim,
nada em você encontra um meio
para chegar ao princípio do sentimento...
Hoje vi borboletas colorindo a paisagem,
a beleza era tão rara e sutil...
Trouxe tanta paz ao meu coração,
 me fez esquecer as dores
 e tudo o que em mim se partiu...

Daniele Dallavecchia, 10102008 in Recanto das Letras


Amo Desafinado

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, outubro 10, 2008 0 Carinhos de Luxo


Peito despedaçado, amor libertino!
Rastro de tristeza... Desamparo!
Coração iludido, puro desatino!
Tocando a música
de um amor desafinado.


Daniele Dalavecchia,10102008


Deus do Amor

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, outubro 10, 2008 0 Carinhos de Luxo

Teus beijos ardentes
Esse teu ronronar todo saliente
Como um animal no cio me procuras.
É a mulher que queres ou a deusa nua?

Teu desejo sem fim
Meu delírio - esse torpor!
Porque és para mim
Não um homem, mas o deus do amor.




Daniele Dallavecchia,10102008


SONETO AOS INDIVIDUALISTAS

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, outubro 09, 2008 0 Carinhos de Luxo

Como poderei vencer neste mundo
Se tão poucos me apóiam os planos?
Se tudo quanto quero me afundo
Neste mar de tantos desenganos.

Quem me protegerá destes danos?
Se os que comigo estão, no fundo,
Com suas próprias vidas são profanos.
E eu, com meus sonhos, os inundo...

De pensamentos sobre a humanidade,
Onde creio, hoje convive com tormentos,
Devido ao individualismo que cresce...

Nos corações humanos em velocidade
Estonteante. E reflete nos relacionamentos
Que entre os homens, a cada dia se empobrece.


Daniele Dallavecchia,09102008


EU TE AMO

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, outubro 09, 2008 0 Carinhos de Luxo

Deitada sobre seu peito macio,
Digo a ele: - Este é o melhor lugar
Do mundo! Lugar onde me delicio,
Onde descubro mil formas de amar.

Com minhas palavras o acaricio,
E nossos corpos, nesse emaranhar
Unem-se. Somos dois animais no cio,
Selvagens e completos, a ronronar.

Sou, por toda vida, dele, fiel e inteira,
Sou aquela que seus sonhos à noite vela,
Sou a sorte de um amor que se realizou.

Sou sua mulher, amiga e companheira,
Com ele minha vida é uma linda aquarela,
E em meu peito a mais linda rosa brotou.


Daniele Dallavecchia,09102008


MAL SOCIAL

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, outubro 08, 2008 0 Carinhos de Luxo

Às vezes me apego a uma melancolia,
Sabe-se lá de onde vem tanta agonia.
É algo que me entristece os dias...
Trago em meu rosto triste fisionomia.

Há muito tento deste mal me redimir,
E quanto mais luto, menos consigo sair,
Desta indisposição tão bem acomodada.
Penso estar minha alma amaldiçoada.

Este desgosto acre que me acompanha,
Amigo íntimo e leal por onde vou...
De uma vida sem graça e sem esperança,
De mudar a pessoa triste que agora sou.

Existe remédio para alma como a minha?
Que com nada e nem ninguém se aninha?
Sinto-me tão pequena, no mundo sozinha.

Já não trago a ilusão de encontrar felicidade,
Vejo tantos rostos como o meu pela cidade.
Sou mais uma a estar doente nesta sociedade.



Daniele Dallavecchia,08102008


SONETO A UM DISSABOR

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, outubro 08, 2008 0 Carinhos de Luxo

Paixão misteriosa, em mim contida,
Presa, aflita, dentro deste peito meu.
Sou alma triste, há tempos dividida,
Pois em meu seio não tenho o amor teu.

Vem a primavera, sinto-me desiludida,
Pelo encanto deste amor que se perdeu.
Muito antes desta dor tão bem adquirida,
A dona única de meu destino era eu.

Ah! Estas velas que queimam em ardor,
Minha vida nem meu coração iluminam,
Estou farta da espera do que não se realizou.

Pudera eu voltar para antes deste torpor,
Para as coisas todas que feliz me faziam
Desviando-me de quem nunca me amou.



Daniele Dallavecchia, 08/10/08


Amigo de verdade.

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, outubro 08, 2008 0 Carinhos de Luxo

“QUERES UM AMIGO DE VERDADE?
PROCURA NO ESPELHO!”


Daniele Dallavecchia


AMOR PARA UM CARRANCUDO

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, outubro 07, 2008 0 Carinhos de Luxo

Abriu-se em meu peito uma constelação,
De sentimentos brilhantes que te buscam.
Sou tua melódica e mística canção,
Espantando os males que te assustam.

Em meu seio de mulher há esta procura

Incessante por um pouco mais de doação,
Tão mal correspondida, minha loucura,
Busca a chama perdida em teu coração.

Melodia de amor desiludido que ainda insiste,
Ressuscitar a emoção que de ti se perdeu.
O sol ilumina os teus dias, mas não queres ver.

Teu ar carrancudo, parte tua que persiste.
Parece que o amor em tua vida feneceu
Ainda há felicidade para ti, basta crer.



Daniele Dallavecchia, 07102008


SONETO DA AMIZADE

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, outubro 07, 2008 0 Carinhos de Luxo

Minha vida é um livro de contos sem fim,
Onde guardo personagens em meu coração.
Alegres ou tristes, estão gravados como em marfim.
Inesquecíveis são, e para todos guardo afeição.


Para os que foram embora, deixo meu jardim;
Para os que me magoaram, os ponho no porão;
E para todos amigos verdadeiros que a mim
Deram seu afeto, habitam comigo minha constelação.

Minha alma é como um castelo medieval,
Onde cada pessoa boa ou má tem seu lugar.
E para o meu amor, que foi além da razão...

Amando-me sempre acima do bem e do mal,
Entrego minha terra, meu céu e todo meu mar,
E para nossa morada infinita, meu coração



Daniele Dallavecchia,07102008


FELIZ ANIVERSÁRIO, AMIGO!

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, outubro 07, 2008 0 Carinhos de Luxo

Hoje é o seu grande dia,
Quero ver estampado em seu rosto
boas novas, renovação e toda alegria,
Uma felicidade de dar gosto.

Desejo que em teu caminho,
encontres sempre bons amigos.
E que o amor esteja em teu ninho,
tornando teus dias mais coloridos.

Quero que saibas, meu querido,
Que qualquer dia, ao teu lado, para mim,
É sempre festa, sempre divertido.
És rosa cativa em meu jardim.

Feliz aniversário, meu amigo.
Nesta data querida e tão especial.
Poderás sempre contar comigo,
Porque para mim, és essencial.



Daniele Dallavecchia,07102008


AO VERME

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, outubro 06, 2008 0 Carinhos de Luxo

Aquele verme aqui jaz
Que nunca em sua vida anunciou
Para nim a paz.


Daniele Dallavecchia,06102008


HÁ POESIA EM TUDO

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, outubro 06, 2008 0 Carinhos de Luxo


Há poesia transbordando em mim,
Por todos os lados, de todos os poros.
Faço versos de tudo quanto vejo,
E também de todos os meus medos.

Estou com o espírito de fantasia repleto.
Consigo enxergar no feio, beleza;
Na maldade, diferente natureza;
Meus olhos vêem o mundo mais reto.

No sorriso e no pranto vejo seu encanto,
E também no arco-íris e em todas as suas cores.
Na natureza, nas formas e nos sabores.
Na música bela que sua melodia ressoa.

Há poesia em tudo, - é assim que sinto!
Nos detalhes, nas coisas e até quando minto.
Nas tintas que escolho, nos quadros que pinto.
Cada dia é um verso belo e distinto.

Até na casa velha onde moro,
E na rua barulhenta... Pura nostalgia!
Sabem as paredes, da infância minha,
Sempre me ouvem, quando triste choro.

Um amor que nasce é pura poesia,
Inunda os corações amantes de alegria.
Um amor que dura inspira a vida,
Faz até os mais céticos acreditarem em magia.

Daniele Dallavecchia,06102008


INTENSA...

Postado: Daniele Dallavecchia On domingo, outubro 05, 2008 2 Carinhos de Luxo



Não sei amar pela metade
E nem fazer segredos.
Não sei me esconder,
Por detrás dos medos.
Não sei o que é ser
Obscura ou misteriosa,

Porque o meu amor é livre,
Pássaro raro, pedra preciosa.
Porque o meu coração não sabe,
Com a razão, amar.
Porque minha alma ...
Entrega-se de forma tão profunda
como o mar.


Daniele Dallavecchia,05102008


MEUS VERSOS

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, outubro 05, 2008 0 Carinhos de Luxo

Meus versos são a expressão de minh’alma,

Traduzem os sentimentos todos que sinto.

Alguns, como um punhal, rasgarão teu peito,

Outros serão para ti como bálsamos, absinto.

Alguns versos meus são impregnados de amor,

Outros, tão tristonhos quanto um dissabor...

Passarás pelos meus versos e sentirás,

Amor ou cólera; dor ou um pouco de nostalgia.

Indiferença, porém, te garanto, não terás!

De ti, em meus versos, sei que encontrarás.


Daniele Dallavecchia, 05102008



POEMA DO PRIMEIRO ENCONTRO (No Flamengo)

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, outubro 04, 2008 0 Carinhos de Luxo


Céu lilás, rosado e sobre o azul do mar, a lua.
Iluminando as montanhas e Cristo, o redentor,
Paisagem maravilhosa, inspiração para o amor.
Eternizando o encontro entre minha alma e a sua

O Rio antigo, cenário ideal, perfeito.
Sentados sob as palmeiras e o enlace das mãos.
Duas taças de vinho, e o melhor enredo,
Para o amor que florescia em nossos corações.

Ouvi o sino dos deuses, anunciavam aos céus,
O reencontro de almas gêmeas, antes divididas,
Perdidas, que vagavam tristes pelo mundo, ao léu.
Tantas vezes iludidas... agora, finalmente reunidas.

Cenário magnífico, criado por divino pintor.
Fadas e anjinhos tocando celestial canção,
Festejando um beijo, momento de esplendor.
Abençoando e eternizando sonhada união.

Sentimento intenso, pelo encontro mais bonito.
Onde éramos metade, agora por inteiro.
Casamento abençoado por Deus no infinito,
Em toda minha vida serás sempre o primeiro.


Daniele Dallavecchia,03102008


Quadro pintado por E.S.U.Tenório


CANÇÃO DA RAÇA INSANA

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, outubro 04, 2008 0 Carinhos de Luxo

Eu canto minhas dores contidas,
E minha angústia que não cessa.
Canto às antigas e tristes feridas,
Que cicatrizaram-se sem pressa.

Eu canto às noites mal dormidas,
E tudo que neste mundo me estressa.
Canto para todas as pessoas sofridas,
Que seus males aliviam com promessas.

Eu canto o ritmo frenético do dia-a-dia
E à vida tão mal vivida que levamos,
Condição infeliz a nossa, tão desumana.

Eu canto nossa conscientização tardia,
E esta situação em que nos encontramos.
Eis que surge uma nova raça: a raça insana!



Daniele Dallavecchia, 03102008


ENCONTRO ETÉREO

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, outubro 03, 2008 0 Carinhos de Luxo

As estrelas colorindo o firmamento,
iluminando meu destino sem caminho,
trazendo a lembrança do nosso momento,
onde vivíamos sob o teto do nosso carinho.

Teus braços entrelaçavam-se aos meus,
nossos corações, unidos num só pulsar.
Ah! Eu era plena, eu tinha tudo, meu Deus!
Meu rio fluía desaguando no teu mar.

Triste acreditar em tão perverso destino.
Dias e noites fostes minha estrela, meu norte,
mas os deuses, sem piedade, em desatino,
levaram-te para longe, arrancando-me a sorte.

Da vida que me resta, nada mais espero,
que o instante do nosso reencontro etéreo,
pois tudo o que dos deuses insensatos quero,
meu espírito junto ao teu no céu; o resto no cemitério.

Daniele Dallavecchia ,03102008,18:29


CORAÇÃO DESPEDAÇADO

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, outubro 03, 2008 0 Carinhos de Luxo

Sinto-me perdida nesta ira que me cegou,
Grito para os quatro cantos do universo,
Quero me livrar desta dor a que me apego.
Quero sair das profundezas de onde estou.

Ferida aberta que em meu peito não se fechou,
Solidão que me consola nesta noite fria de inverno,
Nem as estrelas que tanto amo enxergo...
Que parte de mim será que ainda restou?

O que fizestes com meu coração, ingrato?
Minhas preces todas são só para ti,
Sonho o dia em que o remorso te alcançará.

És a doença com a qual, aos poucos, me acabo.
Mas ainda estou aqui... não sucumbi.
Esta nuvem cinza passará, você passará!


Daniele Dallavecchia,02102008


O JARDIM MÁGICO

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, outubro 03, 2008 0 Carinhos de Luxo

Um imenso terreno de terra fértil, quando nasci, encontrei.
E ainda não havia nenhuma sementinha sequer por ali.
Desde o princípio as mais promissoras sementes procurei,
No jardim vasto e verde da minha vida, dia-a-dia, cultivar.
Amizade e verdade plantei; mentira não.
Amor e coragem plantei; covardia não.
Respeito e liberdade plantei; repressão não.
Sonhos diversos e alegrias plantei; Tristeza não.
Perseverança e esperança plantei; Preguiça não.
E assim passei outono, inverno, primavera e verão.
Sempre plantando as sementes que queria em meu coração.
Para que mais tarde, após muitas e belas estações
Pudesse olhar para traz e ver um lindo jardim, um jardim mágico!
Com flores de todas as cores e as mais frutíferas árvores,
No imenso jardim da vida onde tanto amor dediquei.
Fadas e borboletas sonho em ver cirandar de mãos dadas, bailando,
Crianças brincando e correndo por entre as flores e no pomar.
"Ah! Lá estão às flores, filhas das sementes que ao longo da vida cultivei."
E poderei, admirada, contemplar toda a beleza do meu jardim.
E por ele ser mágico eu também poderei voar,
Entre fadas, borboletas, crianças, músicas, rosas e jasmins.
Ah, como um dia será lindo o meu jardim!
E voando sobre toda aquela magia lembrarei:
“Desde pequena sempre soube que o jardim da vida,
dependia das sementes que eu quisesse nele plantar”.
Logo, seu jardim, ao final será do jeito que desde agora você fizer e sonhar.



Daniele Dallavecchia,02102008


TEU OLHAR

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, outubro 03, 2008 0 Carinhos de Luxo

Teu olhar intenso, reto e profundo,
Penetram em meu ser e desvendam,
Este labirinto que há em mim, meu mundo.

Esse teu mergulhar nos meus pensamentos,
Trazendo à tona relicários de minha infância
Onde tudo era um mar de divertimentos.

Você fez brotar flores raras no meu jardim.
Envolveu com seu perfume todo o meu ser,
Despertou o melhor que havia em mim.

E no dia em que a morte enfim vier me encontrar,
E um anjo amigo docemente me perguntar
Do que mais gostei em todo esse meu viver...
Direi que foi ter conhecido e amado você.



Daniele Dallavecchia,02102008


FONTE INESGOTÁVEL DE AMOR

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, outubro 02, 2008 0 Carinhos de Luxo

Meu amor é como um poço sem fundo,
Onde brotam sentimentos de dentro da terra.
Mata a tua sede, te sustenta no mundo,
Fonte inesgotável de amor, fonte eterna.

Sou tua mulher, amante, irmã e amiga;
Sou a que no ventre tua semente cultiva,
Cuidando que teu gene na história prossiga,
Cuidando que este amor para sempre viva.

Tantos amores pelo mundo, de mãos dadas, infelizes,
Compartilhando a dois suas dores e solidão.
Escolhida pelo amor fui, porque comigo divides,
A beleza infinita que abrigas em teu coração.

Daniele Dallavecchia, 01102008


AO PERCUSSIONISTA

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, outubro 02, 2008 0 Carinhos de Luxo

O músico sempre foi um ser superior.
Com suas melodias, invadem nosso mundo.
Nossas almas, iluminando nosso interior.
O artista é sempre intenso e profundo.

Apaixonei-me por um percussionista,
Já o vi muitas e muitas vezes no palco,
Quando abraça seus tambores, sua vida
Transporta-se para além, voa mais alto.

Seu engenho e a sua arte? - A percussão!
Onde as batidas fortes e rítmicas que toca
Confunde-se com as batidas do seu coração,
Unidas num só corpo estão, sua alma e a música.

Lembro-me da primeira vez que o vi tocar,
Sintonia perfeita, movimentos de contorcionista,
Entre o corpo e suas mãos, o percussionista,
Solava enfeitiçado, num impressionante vibrar.

O duplo tambor misturado ao seu corpo,
Juntos, pareciam ter o mesmo movimento.
O músico sempre está possuído por elevado,
Imenso, febril e enigmático sentimento.

Não sei se o que expressa, no palco, é dor ou paixão,
Mas as batidas rítmicas que vibram do seu tambor...
Correm meu corpo todo num turbilhão avassalador!
Misturam-se as batidas suas com as do meu coração.


Daniele Dallavecchia,01102008


MINHA ESSÊNCIA

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, outubro 01, 2008 0 Carinhos de Luxo

Lua dos poetas iluminando o céu,
Criada por Deus, plena em beleza.
Retiro dos olhos que cobre, o véu,
Tiro d’alma que me invade, a tristeza.

Olho o firmamento, obra-prima,
Pelo artista Divino com amor criado.
As cores, os brilhos, noite e dia,
Trabalho perfeito de gênio inspirado.

Céu azul, verde em volta, mar aberto.
A vida que pulsa, a vida que se esvai.
Tudo é primoroso, estonteante, belo,
Parte de um todo, desde o filho até o pai.

Liberto meu ser, desfaço a confusão em mim,
Deixo na rua o sofrimento, esqueço meus dilemas.
Trago na mente pinturas, paisagens sem fim.

Respiro a natureza, verdadeiras telas de cinema.
Cultivo em meu peito flores diversas, belo jardim.
A essência é: a vida faz os versos, nós o poema.



Daniele Dallavecchia,30092008


DANÇANDO AO REDOR DO CORAÇÃO

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, outubro 01, 2008 0 Carinhos de Luxo

Meu corpo enfeitiçado pelo encanto
Das músicas belas, das batidas dos tambores.
O ritmo intenso e inebriante com que danço,
Silenciosa, misteriosa e nas faces rubores.

Sou musa da lua, danço em verso e prosa,
E com as mãos levantadas para o alto,
Alcanço, num ritual, a leveza da aurora,
Deixo meu espírito voar livre pelo espaço.

Minha saia longa que comigo rodopia;
Meus pés descalços que giram sobre o chão,
Sinto meu corpo vibrando com magia,
Quando danço ao redor do meu coração.

Olho para os céus e vejo as estrelas
Cintilantes e belas, minhas companheiras.
A noite mágica que em mistério me envolve,
E com todos os seus encantos me cobre.

Vejo um mundo além do mundo,
Sei os segredos dos corações,
Danço e mergulho bem fundo,
Sentindo um universo inteiro de emoções.



Daniele Dallavecchia, 30092008


ERA UM AMIGO...

Postado: Daniele Dallavecchia On quarta-feira, outubro 01, 2008 0 Carinhos de Luxo



Do meu peito em caos nasceu o verso,
Do teu amor em minha vida, a esperança,
Por saber que contigo posso ser feliz
Como no tempo em que eu era criança.

Teu amor transformou minha vida,
Trouxe para meus dias novos sabores.
Antes de ti amor, era eu alma perdida,
Na mão de pierrôs, insensatos atores.

Colocaste um fim aos meus dias de solidão.
Mil razões encontrei com você para viver.
Encantaste com teu sorriso meu coração
Nem mais um segundo consigo te esquecer.

Os deuses ouviram minhas preces no infinito,
Apiedaram-se das tantas lágrimas que derramei.
Finalmente, meu amor, meu príncipe, encontrei
Peça do destino: era ele o tempo todo um amigo!


Daniele Dallavecchia 30092008