Távola De Estrelas: Outubro 2010

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Insensatez

Postado: Daniele Dallavecchia On domingo, outubro 31, 2010 1 Carinhos de Luxo



De que vale maltratar a alma
com este veneno sentimento
torcer o corpo, perder a calma,
amaldiçoar a todo momento...

Cada uma que te beija, te abraça...
Me dói a vida. dói todo o futuro...
Até quando suportar a seta que trespassa
esse amor insensato e tão obscuro?


MEU VERSO CALADO

Postado: Daniele Dallavecchia On quinta-feira, outubro 28, 2010 4 Carinhos de Luxo



Meu verso não encontra paz nesta morada,
vento rebuliço, terra pisada, caos que pariu
o arroubo da poesia, disputa deslavada, 
triste contenda, acaso infame que me afligiu...

E minha alma sensível jogada ao muro cinza
do nada, do vácuo, da criatividade estática,
se encolhe na proteção do inconsciente, tinta
desbotada, cor forte e rubra, flor bombástica.

Espero o instante maior do renascimento,
vida que brota, lua nova, água da nascente
fluindo meu destino rumo ao novo, intenso
florir de um dia belo na alma, acontecimento!



Postado: Daniele Dallavecchia On quarta-feira, outubro 27, 2010 0 Carinhos de Luxo


para ouvir, pausar blog song


Procurando o teu céu

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, outubro 25, 2010 0 Carinhos de Luxo




A saudade vem com a noite e traz a dor,
condensada, parada entre minhas pálpebras.
Num mar d'estrelas brilhantes, não vejo cor.
Engasga minha boca em mudas palavras...

Quero voar livre, perder-me pelo espaço,
ser quem sou, sem medida nem segredo,
cair de vez, para cima, no alto do teu abraço,
fugir da solidão, chegar ao teu céu pefeito.

Nada posso neste instante desarticulado,
o tom perdeu seu rumo, a canção se desfez,
as notas voam, procuram teu significado,
mas encontram-me só, delirando outra vez.


Sempre do teu lado

Postado: Daniele Dallavecchia On quarta-feira, outubro 20, 2010 0 Carinhos de Luxo



Queria navegar dentro do teu corpo,
entrelaçar-me entre teus nervos,
e no plexo nevrálgico, desconforto
da tua agonia, descartar trevos
da antiga maldade, inocente roto
que te condenou à dor-tirania,
arrancar tua alma deste dia torto
queda da tua alegria, 
paralisia da tua poesia.
Nessa tarde de Outubro anil 
nada lembra teu amor, tua docilidade,
vento que desfaz a paisagem primaveril,
arrancando a beleza das flores, maldade!
Mas Deus tudo vê, tudo ouve, tudo sabe,
tão forte como a mágoa que te causa
esta dor, venha Ele, por compaixão e vontade,
por fim ao que te maltrata, tudo sare!
Quero que tua  paixão, belo perfume exale,
em versos-canções, tua pureza se propague.
E aqui estarei, eternamente grata d'Ele,
realizar tão sublime e desejada ópera-milagre,
pois que esta luz finalmente meu peito degele,
e tudo quanto derramar tamanha fé, se consagre.


Teu Sex appeal...

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, outubro 19, 2010 3 Carinhos de Luxo



Tua voz viaja pelos meus ouvidos,
percorre meu corpo arrepiado,
desintegra e desarma meus sentidos,
sou toda tua, amado desalmado...

Teu jeito calmo de falar, 
enquanto desaba o meu mundo,
é de enlouquecer, desconcertar,
muda minha atitude num segundo.

Teu sex appeal acaba comigo,
desbaratina e brinca com minha razão,
teu corpo, teu rosto... Corro perigo!
enlouqueço, alucino de paixão...

E desse modo sigo teus passos,
não penso, apenas sinto...
desfaleço nos teus braços...
e me entrego ao teu instinto...

Daniele Dallavecchia


Juntos somos uma obra de Monet

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, outubro 19, 2010 0 Carinhos de Luxo



Amor, ontem choveu tanto no meu coração
que mal conseguia imaginar um novo dia,
mesmo pedindo ajuda em fervorosa oração,
a tempestade no meu peito só se expandia...

Mas você me sorriu e teu sorriso trouxe a luz
tuas palavras me devolveram a antiga calma,
emoção, sentimento, vida, paz...Tudo reluz
o ser humano que és tu e tua bela alma...

Me agarro nesta felicidade, sonho perfeito, 
e mesmo sendo démodé o amor, respiro você,
Onde encontro meu lugar no mundo: teu peito! 
Separados somos nada, juntos, obra de Monet!


Sem você

Postado: Daniele Dallavecchia On domingo, outubro 17, 2010 0 Carinhos de Luxo



Meu amor, doce amor...
Tua ausência corta minha carne,
meu peito dilacera nessa falta
sou toda agonia, sou o sangue que ressoa,
grita teu nome nesta rubra dor
mas  não ouve nenhuma resposta...
Amado, te amo tanto
me desespero tanto...
Não me deixa aqui sofrendo, chorando...
Onde está você agora?
Preciso de você, me falta o ar
e neste sufoco me definho...
A distância é tão cruel,
e eu estou entre o real e o virtual
não sei o que é concreto.
Não sei de você, além daquilo que me dá...
além do que me deixa ver...
Se ao menos soubesse a minha aflição,
talvez viesse me buscar...
Já não me interessa ficar aqui
se você não está...
Me leva com você,
seja qual for este lugar!


Completa-me!

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, outubro 15, 2010 0 Carinhos de Luxo


Uma tempestade de luz crua

invadiu a minha tormenta,

clareou a face negra da minha lua,

descortinou minha tristeza... Enfrenta

meu lado mais sombrio, tumultua

minha dor ancorada, alimenta

de flores e cores minha rua...

completa minha arte, me reinventa!


Em queda livre..

Postado: Daniele Dallavecchia On quinta-feira, outubro 14, 2010 0 Carinhos de Luxo

obs: para ouvir, pausar antes bolg song.



Vôo pelo teu espaço, 
perco-me nos teus passos
e não me acho, não escapo
da solidão...
Deste encalço!
Ainda tenho um coração...
Sem teus carinhos,
me desfaço
em centelhas sem luz, pedaços,
pontinhos na tua estrada...
E onde estás?
Por que não me inclui?
Por que nada se conclui?
Morro, lentamente, neste mar,
na tua dimensão,
afogada em interrogações,
corro perdida,
estico meus braços,
querendo te alcançar
mas não me vês,
caio no precipício,
em queda livre na tua canção...
E me deixas assim...
Onde está tua compaixão?
Onde te encontro?
Em que lua,
que mundo,
em qual ilusão?
Corre na minha direção,
me alcança, não me deixa aqui...
sozinha, caída, esquecida...
Te espero, sonhando, deitada
nas folhas caídas
da tua estação.



SAUDADE

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, outubro 12, 2010 4 Carinhos de Luxo






Um louco querer despertou te buscando
nesta manhã de setembro primaveril.
Sou eu, além dos espaços, te chamando
em delírio, nos lençóis brancos, febril...

Pranto desvairado de saudade, sufocando
o peito que te guarda este amor pueril
e sigo os dias tristes, acordada, sonhando
vencer o mal que nos separa: distância vil.


Reescreve-me com teus versos e palavras,
afasta de mim as mazelas desta vida insana
leva-me para o teu mundo de poesia e luz.

Poupa-me os anos futuros destas amarras,
onde encontro-me frágil feito porcelana
só teu amor, meu destino incerto, conduz.


Sonho somente o teu amor

Postado: Daniele Dallavecchia On domingo, outubro 10, 2010 4 Carinhos de Luxo



Este amor grita e rasga  meu peito,
luar de estrelas querendo nascer,
surtindo n'alma muda reverso efeito,
fazendo o dia de primavera perecer.

Sorte, deus entre os homens, perfeito !
Amor que me envolve, me faz renascer...
Destino traiçoeiro, tramando com jeito,
os obstáculos para nos fazer sofrer.

Paixão à primeira vista, envolveu-me,
no rastro inebriante da tua magia,
me faz chorar, me faz feliz, me faz viver...

E quando o dia bendito vier, leva-me
para tua vida, minha mais bela poesia,
me aceita, é do teu lado que sonho morrer.



Desalento

Postado: Daniele Dallavecchia On sábado, outubro 09, 2010 2 Carinhos de Luxo



Sim, vasta é a solidão e seus desenganos,

vasto é o amor e a dor dos que muito amam,

dos finais de semana sem fim, triste de mim,

a notícia que não chega, e os olhos pairam

sentidos, pesados, rasos d'água, encarnam

a melodia de um coração frágil, tão humano.

Na paixão tudo é incrível, instável, insano...


Solidão

Postado: Daniele Dallavecchia On sábado, outubro 09, 2010 0 Carinhos de Luxo



A distância é tão longa quanto a imaginação,
voa alto, se perde, cai em medo, tão surreal!
Alastra-se em choro pelas dúvidas do coração,
tudo intriga e nada, além de mim, faz-me mal.

Tua voz sussurrada em meus ouvidos, fixação!
teus olhos cegam-me os sentidos, sou a utopia
dum sonho feliz e imaginado para o coração,
mas a alma hoje acordou sem cor, de ti vazia.

Traz de volta a alegria que de mim roubaste,
poupa-me a vinda aflita desta tua ausência,
se vais, sejas breve, se ficas, dá-me teu amor.

O destino nunca quis que de mim te poupasse,
pago caro esta paixão, minha sina e penitência,
és o único a quem, na vida, enxergo mais valor




Palco da minha vida

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, outubro 08, 2010 2 Carinhos de Luxo



Não há limites para a tristeza
no meu coração... É um fato!
Ciclo repetido com destreza
nesta vida, neste dia, neste palco.

O tempo feliz que nunca vem
faça chuva ou faça sol, o drama
é só meu e só a mim convém,
pés que nunca desatam essa trama.

Sangue derramado a cada luta,
lágrimas que lavam meu rosto,
e no fim melancólico desta labuta
o destino mostra-se tão indisposto.

Cessará um dia esta tempestade?
Quando, de mim, a dor se libertará?
O poder que trago na minha vontade
há de salvar o que resta ainda da vida.


Coração aflito...

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, outubro 08, 2010 0 Carinhos de Luxo







































O que mais dói em minha alma    
não é a distância e nem a saudade  
que me tira toda a calma,   
me amortece os sentidos, crueldade!   
Que não se explica,   
e ignora meu gesto de lealdade.  
Mas a tua ausência, a palavra não dita,  
o amor que me poupa da verdade, 
fere aos poucos, corrói lentamente,
aflige meu corpo, tira-me a sanidade,
ocupa meus dias, minha mente...
Se ao menos soubesse tua avenida,  
pudesse ver teu destino claramente,
minha tristeza seria menos dolorida.
Mas vivo a peleja desta chaga ardente, 
sem saber de ti, alma minha, dividida
vivo a espera de ser tua eternamente,
morrendo de amor, lentamente, em vida...


Para aquele que não me vê...

Postado: Daniele Dallavecchia On quarta-feira, outubro 06, 2010 4 Carinhos de Luxo

Abriu-se em meu peito uma constelação,
de sentimentos radiantes que te buscam.
Sou tua melódica e mística canção,
espantando os males que te assustam.

Em meu seio de mulher mora esta procura
incessante por um pouco mais de doação,
tão mal correspondida, minha loucura,
busca a chama perdida em teu coração.

  Sinfonia de amor abandonado que ainda insiste,
ressuscitar a emoção que em ti
feneceu.
O sol ilumina tua vida e teus
sentidos  não crêem.

Quero mudar teu semblante de homem triste.
  Encontrar o amor que de tua alma
se perdeu.
Te amo tanto! Por que teus
olhos não me vêem?
                                                     


Minha insegurança

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, outubro 01, 2010 4 Carinhos de Luxo


Teu amor me alimenta a alma adormecida,
e meu ciúme te atormenta, estou aturdida,
minha insegurança boba, calma esquecida...

Tua asa angelical que me envolve e retira
a angústia deste coração de fêmea sofrida
paixão divinal, assusta-me, nunca antes vivida.

Sou criança, sinto-me sem norte, desprotegida
abraça-me para sempre e guia minha vida,
quero saber teus medos, sina, cantiga

Leva-me no teu vôo pelo universo e evita
que meu espírito solto, erros doutrora, repita
quero sempre ser tua menina, tua preferida.