Távola De Estrelas: Sonata Do (não) Saber - Recitado

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Sonata Do (não) Saber - Recitado

Postado: Luiz Sommerville Junior On terça-feira, julho 26, 2011 2 Carinhos de Luxo


Cá para mim que sou teu
mas ninguém sabe,
o poema sabe, mas é mudo,
posso confiar na sacralidade
desta certeza-
todos sabem o que não sabem,
em conversa com meus botões,
me interrogo
se por ventura eu saberei
o que sabe o poema
nesta dúvida me quedo
mas, afinal
que importa saber?
ainda há pouco faleceu um gato
que nada sabia de astronomia
e , ó , quanto eu queria
olhar a lua
com o olhar que nele havia !


Ouça o poema recitado

Pause antes a música do blog 



Luiz Sommerville Junior, 1109201021,57

2 Response for the "Sonata Do (não) Saber - Recitado"

  1. Cá para mim
    que sou tua
    e todo mundo sabe
    o poema também sabe
    e não é mais mudo
    posso confiar
    na certeza deste amor...
    Em conversa com as estrelas,
    me interrogo
    se por ventura
    eu saberei
    expressar em poema
    o amor que Neruda sabe,
    nesta dúvida me quedo,
    mas, afinal
    que importa saber?
    Ainda há pouco conheci um gato-anjo
    que nada sabia de poesia,
    e, ó, quanto eu queria
    voar pelos céus e a lua,
    como ele fazia...

    Amor, meu lindo, este teu poema eu AMO!!! Ó, mon bébé, ele marcou o nosso namoro...aquela época em que ninguém sabia de nós, o poema já sabia, mas é mudo...

    E agora o poema aprendeu a gritar: EU TE AMO!!!!!

    beijo, meu mestre da poesia...

    adoro ouvir a tua voz

  2. Jorge e Daniele, obrigado por visitar e seguir
    meu blog, sejam bem-vindos, me sinto honrado!
    Parabéns por este espaço bonito e poético.

    Grande abraço e certamente voltarei.

    Bruno

Postar um comentário

Beijinhos