Távola De Estrelas: Novembro 2011

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Do belo

Postado: Luiz Sommerville Junior On quarta-feira, novembro 30, 2011 1 Carinhos de Luxo




Um mundo onde predomina a beleza
pode não ser um mundo justo , mas é certamente ,
um mundo onde a dor é menos insuportável , porque
a presença duma estética onde o belo é  a sua
dama d´honra , alivia o horror que todo e qualquer
mal estar possa provocar.
Em verdade, contra a dor , seja ela pessoal ou
colectiva , contra essa "feiura" somente a beleza ,
seja ela a dos gestos ou a dos corpos que o universo
gerou , pode contrapor o alívio de que o ser , quando
em sofrimento , carece .
É certo que para um doente padecendo de dores
horríveis , aparentemente , o belo , nada pode
oferecer-lhe e apenas a rápida adminstração
dum potente analgésico lhe travará a dor
da chaga que lhe corrói o corpo , mas
esse analgésico , não é ele mesmo , uma forma
de repor no corpo a estética que a doença
quer roubar-lhe ?
Nenhum sofrimento faz sentido , logo , tudo
que se oponha ao sofrimento e que devolva
ao ser o indespensável bem estar - é belo .
Maravilhosamente belo . E, este é
(o bem-estar , conforto) o poema mais
belo a que alguém pode aspirar e que
em pleno direito todos os que acreditam
num mundo melhor devem exigir.

Luiz Sommerville Junior , 241120112357


O Triunfo Da Criação

Postado: Luiz Sommerville Junior On quinta-feira, novembro 24, 2011 4 Carinhos de Luxo


Quando a tua castração
desfere tiros
nos sexos
que aplaudem a tua ilegalidade
não estás a matar
o coração da humanidade
que te beija a mão
estás a assassinar
a esperança num mundo melhor
porém
alguém tem que lavar
o sangue derramado
e ...
num passo de valsa divina
as chagas que vazarão
mais tarde ou mais cedo
virarão música
será aí , nesse instante cósmico ,
que o sangue purificado
de novo circulará
para que ...
do mundo
o bom triunfe
em esperança

É que a vida
não se destroi com três balas
e eu carrego sempre na minha algibeira
um revólver de chocolate !

Luiz Sommerville Junior , 251120110859



Sonho Somente o teu Amor

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, novembro 22, 2011 2 Carinhos de Luxo


Este amor grita e rasga meu peito,
luar de estrelas querendo nascer,
surtindo n'alma muda reverso efeito,
fazendo o dia de primavera perecer.

Sorte, deus entre os homens, perfeito !
Amor que me envolve, me faz renascer...
Destino traiçoeiro, tramando com jeito,
os obstáculos para nos fazer sofrer.

Paixão à primeira vista, envolveu-me,
no rastro inebriante da tua magia,
me faz chorar, me faz feliz, me faz viver...

E quando o dia bendito vier, leva-me
para tua vida, minha mais bela poesia,
me aceita, é do teu lado que sonho morrer.


Para o meu Jo, in luso
Feliz Níver, meu amor!


Entre a Terra e o Céu

Postado: Luiz Sommerville Junior On quarta-feira, novembro 09, 2011 7 Carinhos de Luxo


Esta hora
relógio ancorado
no meu coração
peito que do ventre
escuta a criação
ouvido bafejado
namorado da tua respiração
que da vida é
tic-tac divino
compasso d´abraço
que me acerta o passo
precioso sino !
ah ! ...
e quando dá
a volta (!)
é novo dia
tudo a nascer
em ...
mais um segundo ...
esta hora
do profundo
em que te agarro
para ser eu
que sem ti
morre a oração
a minha mão
que olha a hora ...
tua
projecção !

Luiz Sommerville Junior 2209201113:39

*DS*SD*


O Amor é Simples

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, novembro 04, 2011 6 Carinhos de Luxo



O amor é complexo,
um paradoxo
dor/amor
sem nexo
tela, luz, cor,
pinturas que nascem
no dia-a-dia
tela colorida,
alegria,
miocárdio
bombeando sangue
aos litros
para todas as células
que vivem por amor...
Fascinante sensação
duma memória
que decora
cheiros
contornos,
toque, voz, pele
beijo...
Na simplicidade de um ser...
em ser único entre tantos...
emoção, comoção
"nos olhos que derramam
o brilho das estrelas"
ao ver diante de si
o que sempre sonhou...


Para Jo com Amor

Daniele Dallavecchia 25102011
Sempre DS*SD erpmeS