Távola De Estrelas: 2012

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Hora Da Verdade

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, dezembro 31, 2012 3 Carinhos de Luxo


O amor não é verdadeiro nem falso, é , simplesmente , o amor .
Se a tua verdade sobre o amor é uma verdade falsa , que culpa tem o amor da tua maldade ?




Luíz Sommerville Junior (JouElam) , 311220121923


"Rodrigo´s Concert"

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, dezembro 28, 2012 0 Carinhos de Luxo

Se eu soubesse
o quanto a luz do sol
te magoaria
eu pediria
do tempo
o dia
em que os progenitores
do conhecer seriam
o não havia ! ...
É certo
que nenhum de nós rejubilaria
com a Sonata Ao Luar
mas isso que importaria
para a lua que eternamente há de namorar
com o gato
apaixonado de a contemplar ?



Luiz Sommerville Junior(JouElam) 281220120248


"Perdidamente" - A Flor(Mais)Bela

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, dezembro 25, 2012 5 Carinhos de Luxo

Há no teu jardim
poemas
que eu quero escrever
nos versos ...
há flores
que eu teimo em cuidar
terra-essência , estrofes !
de métrica
que eu respeito
quadras e terceto
do soneto
que eu amo
ao jeito de Florbela :
- "Perdidamente" ...


Teu

Com Amor


Jorge (Luíz Sommerville Junior) , Dia De Natal de 2012 , 251220121850


Dos sonhos...(meus)

Postado: Daniele Dallavecchia On domingo, dezembro 16, 2012 2 Carinhos de Luxo


E ao adormecer
serenamente nos teus braços
enlaçada ao teu corpo 
perfeito
ainda assim
sonho com o teu desejo
respiro o teu cheiro
e faço amor 
com o teu eu onírico...
E não espero,
apenas quero e faço
tudo
É que a minha carne
não é só feita dos teus livros
mas de cada célula
que harmonicamente
sente e alucina
os hormônios calados
do meu corpo em chama...
Você é a voz 
que grita dentro de mim
e incendeia a minha alma,
dormindo ou acordada!



Daniele Dallavecchia 1512201221:13
ao meu marido Jo


Austeridade - Fim Do Natal (Reload)

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, dezembro 13, 2012 0 Carinhos de Luxo

Hoje choraste
e esse rio de pranto
que extravasa
em todas as tuas células
fere-te de morte
- qual tiro certeiro -
liquidando-te implacável
e fatalmente
porém ...
ainda não morreste
o projéctil-lágrima
transformou a tua vida
em mera existência .



LSJ , 131220120148


Metafísica da Beleza in situ (sobre você)

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, dezembro 07, 2012 2 Carinhos de Luxo

A tez pálida e límpida 
como mármore esculpido 
o olhar cálido, 
nem leve 
tampouco demasiado sofrido
 para saber o que é o amor, 
para saber desviar-se da dor. 
Cada traço do seu rosto 
é rota decorada na minha íris 
obssecada pela beleza única 
do teu rosto másculo, sensível 
Apolínico e, ao mesmo tempo, Dionísico... 
És festa,és beleza, és vinho, és poesia e és dor
para eu saber a dose certa de cada sentimento 
que vem de ti 
e sentir tudo na carne 
como bálsamo que alivia 
ou como faca que corta lentamente... 
és a dúvida e a certeza 
de eu sempre querer estar lá no lugar 
onde ninguém esteve jamais 
no teu coração in natura


Daniele L. Dallavecchia da Silva

ao meu marido, com todo amor

Jorge M P Dallavecchia da Silva


Da Fragilidade in fuga

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, dezembro 04, 2012 1 Carinhos de Luxo



A porcelana me percorre
como sangue fraco nas veias
é o medo de quebrar, de perecer,
de não ser você...
Teus olhos brilham
como cristais acesos e raros
fitam minha tez pálida
é a vida querendo explodir,
para onde vamos daqui?
A dor é tão grande
que me vejo pequenina
como boneca na palma da tua mão,
quem há de nos fazer
brotar noutro chão?
O tempo, esse destemido irmão
ora nos prende, ora nos solta a mão.
Mas quando nossa semente
florescer dentro de mim
e finalmente vir ao mundo
todos os nossos porquês morrerão
dando lugar a carne da nossa união.

Ao meu marido Jo

Daniele Dallavecchia 04122012,13:22


Do Tempo Todo

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, dezembro 02, 2012 0 Carinhos de Luxo



Do tempo todo,
em que meu corpo se vê
neste mar de madeixas douradas,
livro aberto sobre a cama
onde minha alma
tão marcada pelo autor,
tantas vezes escrita
pelos sopros ternos de Neruda,
alma inquieta,
inundada pelos pontinhos
que à tardinha, em cortejos luminosos
envolvem o crepúsculo maravilhoso
que glorifica o castelo das palavras:
meu lar e minha herdade !
no clarão natural do meu leito
teu colo
que soletra
acordes pianíssimos
em beijos de A a Z...


JouElam


Do Amor II (Eterna paixão minha e tua)

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, novembro 25, 2012 1 Carinhos de Luxo


Só sei amar pensando em ti 
quando penso numa ida ao cinema 
no dia do nosso casamento 
ou nas nossas alianças 
não sou eu a pensar nas coisas propriamente ditas 
mas sim o amor que em mim és 
manifestando-se 
porque todas as coisas 
têm o teu nome e , 
insistindo , 
sim , 
só sei amar pensando em ti 


À Dani 

JouElam 241120122024 


Do Amor (Eterna paixão minha e tua)

Postado: Daniele Dallavecchia On sábado, novembro 24, 2012 2 Carinhos de Luxo


Bailo no ritmo da tua música,
freneticamente hipnotizada
deixo-me levar pela loucura
da tua carne tão desejada...
Me solto, me lanço, me entrego,
me machuco, me satisfaço
e no final, tudo o que sei
é que sou tua,
sempre e cada dia mais,
porque sou teus poros,
você minha transpiração,
somos mais que eterna união,
além de toda e qualquer razão,
somos o mais intenso e puro
coração,
sem ponto de interrogação!


ao meu amor Jo

Daniele Dallavecchia , 24.11.2012


Vermelho É O Amor

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, novembro 09, 2012 2 Carinhos de Luxo


As estrelas , planetas , cometas , asteróides
todos os astros
são :
no dia , na noite , na tarde
ao entardecer
e também ao alvorecer
são , os astros todos
que constroem todos os instantes
sem eles para que serviriam
os olhos meus ?
mas é à noite
que todas as vibrações luminosas do universo
de emissão directa ou reflectida
se tornam pungentes
tão intensas
nos olhos teus
que dos meus
em perpétua repetição
se abrem para te ver
sossegar no leito da criação
até que ...
seja dia
a brilhar nas tuas pupilas
em dilatação
tão intenso é
o renascer
do que nasce sem nunca morrer
puramente ... é !
como os astros são ! ...
todos eles estão lá
- que é em nós o mais perto , em união
de nós mesmos -
é que ...
todos os astros são ... sempre !
nós é que
erradamente ou não ...
acreditamos que eles existem para nós
quando na verdade
nós existimos porque eles são - os astros
como tu , meu amor ,
e ainda que eu não te visse
tu continuarias a pulsar incessantemente
tal e qual o Sol
que é permanente !

Teu , Jo


LSJ , 081120122156


A Cura

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, novembro 06, 2012 0 Carinhos de Luxo



A noite chega com seus contos de terror,
motivo à parte para fortalecer nosso amor.
No escurecer triste da cidade, o quarto
é o aconchego e refúgio dum apertado abraço

Olho aflita pela janela; a tua volta, esperando
e como uma criança assustada, vejo-me orando
para que logo chegues ao abrigo do nosso teto
E a felicidade de te ver a voltar é todo encanto

Ó falta de ar que me assola os pulmões
não vês pantera maldita que sofro esta desventura
de tão jovem não poder saltar com rojões

Mas se cuidares de mim, amor,  com tuas mãos
sei que toda a dor transmutará em rara cura
e logo o medo e terror que senti, enfim, sessarão.

Daniele Dallavecchia , 06112012, 14:37


Alinhamento Mais-Que-Perfeito

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, setembro 27, 2012 2 Carinhos de Luxo





Quando te olhei
foram os teus olhos
que me viram
e se por acaso choraram
foram as tuas lágrimas
que se gravaram
no meu coração
e sempre que sorriem
são sóis
que a Terra segue devotamente
é assim que eu me sinto
ante a eloquência do teu olhar:
- a Terra a girar
365 dias por ano
orientada na órbita das tuas pupilas
de facto
a rotação é a lágrima
da qual irrompe
o sorriso em translacção
todo tempo sou
teu
planeta em revolução


Luiz Sommerville , 260920122202

À Dani , com amor


Jo


A Tua Carne É Feita De Livros

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, setembro 20, 2012 2 Carinhos de Luxo


Na perfeição do seu coração
vivia
a deslumbrante sabedoria
da mais monumental Alexandria
por vezes sentava-se sobre os livros
como se fossem o parapeito do mundo
e daí contemplava
o vasto céu das palavras
se por acaso uma letra
surgia desordenada , que atrevimento !
d´imediato se ouvia a expressão :
- aqui há gato !
-que não - sustentava o fugitivo
que era rato -
que os cães não possuem
o mistério e a liberdade
que habita na alma do felino !
- acreditava -
mas a grande admiração surgiu
quando conheceu Balzac
"incrível ! o homem escrevia em poucas horas
vários lençóis de vocábulos
léxico de luxo
e vivia como um miserável !"
graças à bondade severa ,
avara, da sua execrável mãe
que de carne pouco tinha
e de pau tudo lhe sobrava
coitado !
A Mulher De Trinta Anos
tardava a sorrir-lhe
porém , sua paixão absoluta
era o cérebro de
Assim Falava
vira-o verter lágrimas de sangue
à medida que a boca de Zaratustra
ganhava corpo no papel que aprumava a oratória
- ó quanta adoração
ela sentia por aquele alemão !

Todos os dias , com ,
dos mecanismos suíços - a precisão !
ela adormecia com um livro na mão
manhã seguinte
despertava
com uma tremenda e incurável enxaqueca
repentinamente lembrava-se :
adormecera com a cabeça
sobre uma muito estranha almofada :
- Os Maias de Eça de Queirós !
ó livro meu , que linda é tua cabecinha !


( O livro é uma ave
suas páginas são as asas
suas palavras são o motor - propulsão
e assim ... ela voa ,
ah , doce céu de meu coração)


Luiz Sommer (JouElam) 19092012

À minha Dan , Feliz Aniversário , Meu Amor
Adoro-te
Teu DS


Você, meu homem dos versos...

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, setembro 14, 2012 4 Carinhos de Luxo


Das flores todas,
um aroma,
Das cores todas,
uma tonalidade,
Das músicas que mais apreciei, uma harmonia!
Das mais belas telas, um retrato!
Dos melhores sabores, um gosto!
De tudo que mais vislumbrei,
que meus olhos contemplaram,
que meu corpo reconheceu e minha alma estremeceu...
um nome, uma pessoa:
Você!

Daniele Dallavecchia

Te amo, meu amor de sempre, JMPDS


A Nossa História

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, setembro 07, 2012 3 Carinhos de Luxo


Noites de pele
que não sabem se desgrudar,
dias de olhos
que não se podem deixar de olhar
e a vida vai levando o seu ritmo...
tão diferente
de nós,
do nosso amor
da soma única de nós dois...
E se vamos sobreviver ao tempo errado
em que nascemos?
Sei lá, meu bem,
mas sei que se estiver ao teu lado
tudo está sempre bem...
Ruas sem fim,
sonhos sem rota,
janelas e portas
que podem ou não se abrir,
mas, e daí?
Deus é o Pai, tu és o marido e eu a esposa,
lindos são os lírios do nosso campo...
campo de estrelas
acampadas na nossa íris
que só vê a beleza desse amor que nasceu
e nunca  há de morrer
nem no dia cabal
em que nossos corpos cansados ,
entrelaçados um ao outro
deixarão esta terra insana.
Mas sou feliz hoje
por poder e saber viver
o tesouro e a arca escondida
- o AMOR-
que Ele nos reservou...

Daniele Dallavecchia, 06092012,2308

Obrigada meu marido por ser o centro e todos os lados que me mantém sempre bem!


Ao meu Poeta

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, setembro 07, 2012 0 Carinhos de Luxo


 
Meu Poeta,
que verte pelas pontas dos dedos
o sal da vida,
o canto das sereias,
a lua azul e rara,
que canta louvores d'amor
que ora em frente as estrelas
os mais lindos versos...
Vem, deita sobre a minha alma
todas as flores que só tu tens
no jardim azulado do teu oceano
de encanto e magia,
e me leva para a tua mais íntima
morada, teu mais secreto tesouro,
e faz-me musa tua por toda a eternidade,
porque tu és o sol que me faz vida,
a noite que me adormece
e todas as manhãs que me fazem cantar
a beleza deste mar infinito
que é o nosso amor!

Daniele Dallavecchia, 01092012,01:09
 
Te amo demais,beijo na tua alma, meu marido, meu Jojó.


Hino Aquático

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, setembro 01, 2012 1 Carinhos de Luxo


Meu doce amor
Somos como um solo lunar
feito d´água
que ora nos escapa , porque surpreendente !,
ora nos asfixia
somos como a areia do mar
solidificada , rocha !
que ora dói no fundo para nos alegrar
ora nos acaricia em abandono de manto
no abrandar da nossa corrente , a navegar !
dum jeito ou de outro
somos líquido
adaptando-se a tudo
o que o pode conter
e extravasar
metamorfose , transformação
que dentro de tudo é
e externamente tudo envolve
para que toda a mudança
seja
o elogio da eternidade



À Dani



Luiz Sommerville Junior , 310820122349


A Metafísica Do Amor

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, agosto 18, 2012 2 Carinhos de Luxo


Amo-te hoje
tanto quanto te amei ontem
amar-te-ei amanhã
tanto quanto te amo hoje
supor que algum dia te amei menos
seria reconhecer que nunca te amei
assim como supor que é possível amar mais
equivaleria a admitir que não se ama o suficiente
então ...
amo-te sem comparação com tempo algum
neste amor em que todo ele é
incomparável

À Dani , com amor


Luiz Sommerville Junior (JouElam) , 180820121505


Filhos Da Intempérie

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, agosto 14, 2012 0 Carinhos de Luxo

Foram-se todas as madrugadas
- agarradas !
de mãos dadas , quais irmãs gémeas
de todas as noites
- despedidas !
e o que resta ?
um exército de nuvens sombrias
pairando ...
à espera
duma explosão de gritos
e todos sabem , mas não confessam
que as mães apenas têm nas mãos
duas conchas de chuva
que os pais regressam a casa
com o corpo carregado de vento
e ... os filhos dos cravos
são filhos da tempestade
próxima

(Para onde vai a alegria
quando as sombras sorriem ?)


Luíz Sommerville Junior (JouElam) , 140820120040


O Sopro Do Teu Beijo

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, agosto 12, 2012 0 Carinhos de Luxo

Devaneios repousados na ínsula , regaço bordado !
no astro estampado na janela ,  supremo !
doutrina pintada ao deus-dará
acção das dores sangrando de sagradas , perfeita !
num calar surdo de mudo, eloquente !
porque o silêncio casou com uma nuvem , sem boca 1
talvez eu possa prender o teu mel rosado , poderoso !
nessa linha entre a atmosfera deste aqui , aí !
sentindo como o sufôco é belo
na linguagem gestual, mímica de arlequim
seguindo a redacção do corpo no centro , do texto !
tão velozmente
que o sopro do beijo
prisioneiro do nós , resplandece !
na brisa que o derrama o universo , líbero !
traçando uma estrada, instantânea !
que une a janela desta pequena terra
às avenidas do sol imenso ...


Luiz Sommerville , 2709201015,55

Nota : as avenidas do sol imenso é uma metáfora e refere-se às avenidas e ao sol ,
luz , de Copacabana e seu meio envoltente


Publicado em 27 Set 2010 no site Luso Poemas e também no blog Távola De Estrelas


O Dia Em Que As Estrelas Choraram - Hiroshima 6 Agosto 1945

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, agosto 06, 2012 0 Carinhos de Luxo


Prólogo

Daquele solene minuto
que marcou os anjos nas suas asas
milhões de seres em perfeita normalidade, sonhavam ...
beijavam a bendita dádiva da madrugada
do dia que da vida a criança embalava
na doçura dos lençóis
os seres abraçados nos sóis entrelaçados
que no interior do calor a cintilar
germinavam nos ventres em cruz rosados
a perpetuar através dum instante
beijos d´ar nos poros a rasgar
as flores que no amor glorificam
o eternizar

Requiem

Mas , inesperadamente
como um ladrão violando a morada
no céu alastrou o fogo
que nos corpos a carne vaporizou
a chaga hedionda que gravou
fantasmas nas pedras da calçada
e , para quem não acredita
que o inferno é a Terra quando não amada
eis que o diabo naquele dia triunfou
duma só assentada
eis que suas chamas de laranja em implosão
rasgaram rios de sangue que secaram na barbárie
do leito profanado pela ciência ao comando
dos homens ao serviço do mais vil demando

De rastos , a verter pedaços do ser , - a desaparecer ! -
ele ainda tentou alcançá-la na janela
instantes antes de flores adornada
mas quando olhou - seus olhos queimavam por dentro do cérebro -
ainda vislumbrou entre o horror a sombra da sua amada
e num esforço descomunal murmurou, a falecer de dor :

- Hiroshima meu amor ...


Luiz Sommerville Junior , 080720111951


A Minha Carne É Feita De Livros

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, agosto 04, 2012 1 Carinhos de Luxo

A  minha carne é feita de livros... 
de histórias da carochinha
vividas no vapor da boca
que no adeus da aurora
cobriam de magia
o tormento do meu travesseiro

A minha carne é feita de livros... 
encaixados à força da régua
e do carimbo
do "tens que aprender a lição!" 
enquanto lá fora... 
a saia primaveril
que vestia os meus sonhos
me inundava
de interjeições... 
ah ! ...

A minha carne é feita de livros... 
e rogo a quem os abriu
o milagre
de jamais os fechar...  


Luiz Sommerville Junior ,  Do livro A Madrugada Das Flores *(¹) , Corpos Editora , 2011
(c) Távola De Estrelas 

* * * * * * * * * *

Um dia , sem que eu pudesse imaginar o quanto algumas palavras teriam um papel determinante e decisivo nas nossas vidas , mas que eu sabia que falavam de todos os sonhos - falecidos ! - da criança , jovem e adulto que um dia fui , escrevi este e mais um conjunto de textos (cerca de uma dezena) para um ADEUS à poesia (à vida ?) ... Estava longe d´imaginar , ou se calhar o meu coração na sabedoria da emoção , sabia que seria , justamente , a poesia aqui e agora re-publicada , o início do mais belo, profundo amor . Grato , minha adorada Dani , por teres lido nas minhas tão banais e desapegadas palavras o GRITO de emergência que as mesmas encerravam . Assim ... Tu já voavas ... e eu ainda , nem sequer , da asa, lhe conhecia a forma e muito menos o seu desenho escrito em forma duma passagem de dicionário , contudo , cruzaste o mundo - um ano atrás - , os céus inundaram os meus olhos ... e ... então ... pela primeira vez na vida aprendi o valor ... da terra ! Terra em que o teu sorriso me estremeceu para teres(me) , e seres em mim - Asa de todos os nossos voos . Noiva de todas as viagens .


Adoro-te , minha nenem !

Com amor , Jorge 

Aos dias 4 do mês de Agosto de 2012


*(¹) AMadrugada Das Flores é prefaciado pela escritora
e entomologista Daniele Dallavecchia


Mon Ami Pierrot

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, julho 31, 2012 0 Carinhos de Luxo


Faz-de-conta
que me possuis
faz-de-conta
e pega na tua mala
forrada por fora
com postais vintage
de (in)esquecíveis hollywoods
aos quais prestas idolatria
segue para o circo
provoca o riso no público
nesse gesto de colombina desfocada
que assombra o teu camarim
desmoronando a maquilhagem
enquanto
a lágrima contra
teu faz-de-conta
provoca uma perturbadora tremura
na vela que acendes à Virgem

(Entretanto ...
a Virgem e mon ami Pierrot
consumindo o pavio
gastando a cera
apagam-te ...)


Luiz Sommerville Junior ,  310720120203


Tão Longe ... do Avatar

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, julho 28, 2012 1 Carinhos de Luxo


Sinto
que quase
sou poeta
para ganhar
tão singelo troféu
basta-me
o perdão
e não mais escrever
verso algum
mas ...

Ser quase(poeta)
é ser o pior (poeta)
do (poeta) que é possível ser



Jorge Manuel (Luiz Sommerville Junior) , 280720120227


O Teu Movimento

Postado: Daniele Dallavecchia On domingo, julho 22, 2012 3 Carinhos de Luxo


Percorreria a terra
se terra fosse
qual crente que se descalça
... para pisar chão sagrado
atravessaste as alturas dos céus
e céu era
conquistando as asas
qual ponte que uniu
os mundos num abraço
que nos entranha
e é jóia do mais belo laço


JouElam, 220720120046


 in resposta




O mais belo laço,
vem do teu abraço de manhã,
elo que me fecha em ti,
raiz que me fez nascer e crescer no teu peito,
fruto do amor e da esperança
de irmos, de sermos, de amarmos
até onde a vida nos permitir,
até onde o ponteiro desse relógio de corda,
que são os dias dos nossos dias,
nos deixar seguir.
Mas,
se um dia o teu relógio
parar antes do meu, não esquece,
dum pouquinho antes,
 rebentar a corda do meu
para que possamos
caminhar juntos
numa távola de estrelas e de flores celestiais.

Te amo!


Daniele Dallavecchia, 22072012, 01:02


Solidão II

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, julho 17, 2012 0 Carinhos de Luxo


"Solidão arrasta nove idosos para a morte em 12 horas"
In DN Portugal

Quando das palavras
aqueles que as glorificam
transformam-nas
em sorrisos d´infância
em baloiços de felicidade
em brincadeiras d ´enternecer
em jogos que são do lazer - alegria !
acontece - delas -
o que não podia
deixar d´acontecer :
- o momento melhor !

Mas , quando o ser
morre sozinho
sem ninguém
que o queira ver
não foram as palavras
que falharam
mas as presenças
que delas se ausentaram !

(e o divórcio das palavras não é o silêncio ,
mas a cegueira casada com a falsa semântica)



Luíz Sommerville Junior , 170720121701


Da mudança sem esperança

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, julho 16, 2012 0 Carinhos de Luxo


Nasceu avesso à família
cresceu avesso à matilha
subiu, caiu, subiu, se reconstruiu
Mas quando o defeito é nato
nada conserta ou da jeito
e quanto mais se opunha
a sociedade que combatia
mas nela se enfiava
e não era visto com simpatia
é que para ser nobre,
não basta ter nome
é preciso ter porte
e lhe faltava o corpo esbelto
a arte de saber se comportar
mas, quando o defeito é nato
melhor é aceitar o que se tem
trabalhar às duras, desmaiar na labuta
e ser reconhecido
por algo de bom que se faz bem,
não adianta fazer castelo dum casebre
é preciso grande revolução
e se sabedoria há,
rir-se do que vão falar
ainda é melhor remédio.
Napoleão riu-se e
bem ou mal
foi álguém

Isto não é para mim, nem para ti
é para quem sabe que quando a dor
não transparece no rosto ou doutro jeito
é porque tá guardada a esmagar o peito



Daniele Dallavecchia, 15072012, 21:33
in Do Homem Balzac


Das Cavernas até às Estrelas

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, julho 07, 2012 0 Carinhos de Luxo





Há em cada palavra
um universo
o conjunto
de todas as palavras
contém
todos os universos possíveis
- ó grandeza ! -
sendo cada ser humano
por dentro e por fora
rei e servo
de tão imensurável cosmos
que é
para nós
por nós
de nós
e em nós
nosso , vosso
então ... conclusão :
as palavras , todas ! ,
são
a forma que o homem encontrou
de gerar em cada um
a invenção de "deus"
mas ...
porque razão
o vocábulo
é tantas vezes
contra , inimigo , do ser ?
"o diabo" não é o oposto
de toda a energia criadora ?
se o bem vencesse o mal
significaria isso a extinção ?
será o mal um mal necessário
para que possa existir um pouco de bem ?
imaginemos um mundo sem verbos
haveria gestos , actos ?
e não havendo atitudes , acção ! ,
para onde iria
todo e qualquer movimento ?
pararia ? ficaríamos congelados no tempo ?
ah , mas já existimos sem a Língua
mas o que foi no passado significaria no presente - existir ?
não sei ! ...
apenas sei , que ...

H
á em cada palavra
uma terra de dúvidas
por dentro e por fora !



JouElam , 070720120308


Crueldade ( Viagem adiada)

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, julho 06, 2012 2 Carinhos de Luxo



A vida de (quase)todos nós
é feita de asas
as asas são perfeitas
a vida - perfeita é ,
então ...
porque o nosso voo
não domina a Terra ?

(perguntem à maldade)


Todos temos o direito
de sonhar
mas uma reduzida elite
rouba todos os sonhos do universo
para viver
uma realidade
de delírio luxuoso
fausto da malvadez

- Eis o nosso pesadelo !


JouElam , 06072012024 in Viagem Adiada e Crueldade


Da estátua sem autor

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, julho 06, 2012 0 Carinhos de Luxo


Tenho uma espada afiada,
e dói-me tê-la na ponta da língua,
pois assim como corta
levemente a tua falsa carne
quando ousas me falsear,
covardemente e de soslaio
às pombas que te defecam a cabeça,
minha boca sem trégua
manda-te logo à merda!
O calor gélido da tua encenação,
alma de tristeza, invenção!
pois sei que as poucas aves
que te rodeiam
são trazidas pelos velhos solitários
sentados nos bancos das praças
admirando o tudo e o nada...
Não me controlo diante de ti,
tenho tanto dó , Ó, Ó, Ó!
és tão sem importância, tão estática
que me dói todo o corpo
por não poder gritar-te a verdade,
(escancarada)
não percebeste ainda
não és de sangue, osso e carne!
(és feita de maldade)
e se minha boca sangra
e meu corpo desfalece
é porque o que em mim
ainda prevalece
é a compaixão que por ti tenho
pois sei que tua inteligência
é do tamanho da tua estatura,
ó pobre criatura!
não tens massa cinzenta, és oca,
vazia e nada benta.
Ver-te faz-me sofrer,
és tão coitadinha,
sempre te deixam marcas as andorinhas,
não posso dizer-te
a realidade
explicar o teu (in)significado
seria insuportável para a tua altivez
(ou falta de lucidez?)
pois és a maior invenção de ti...
Não, não estou a zombar ou a rir
não tenho tal autoridade,
não te pari,
mas meu peito dilacera-se
porque és feita do gesso mais barato
e foste muito mal feita, ó raio!
pela preguiça do teu criador,
inexperiente escultor...
logo hás de desfazer-te em pó,
cal, terra e mais nada!
Mas o que mais me apieda,
quando vejo tua face fria
é saber,
Ó pobre estátua,
que por mais que queiras
(i)mortalizar-te
nunca saberás
o que é de fato
o calor verdadeiro,
o bater enlouquecido
dum coração
realmente humano.



Daniele Dallavecchia, 06072012,1:51


A Ilha e o Falo (de Luisa Demétrio Raposo)

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, julho 04, 2012 0 Carinhos de Luxo



ATENÇÃO: PAUSAR O BLOG SONG PARA OUVIR O POEMA
Vídeo feito, com muito prazer e honra, a pedido da nossa amiga, grande poeta Luísa Demétrio Raposo
para o lançamento do seu livro Nymphea


Poema

A Ilha e o Falo

Selo em mim a Ilha, o teu Falo, que não é carne nem sangue mas um duro desejo, na transpirada calva do meu Escarlate a Vermelho.
a Ilha; onde a minha Terra treme quando tocas; quando estendes em mim os teus dedos, adentro;
Na força em combustão;
recebo o tremor no teu Mundo, vasto, pela minha boca pulsante, um grito, dentro nas línguas que ascendem na boca, de fôlego a fôlego;
por cima de uma braçada sobre a pele, o amor desata... som... música... e aromas nos rebentam nos oríficos;
dentro a dança própria ou um poema fincado na levedura... os nus suspiros...!
A Ilha treme! Palavras abraçam-nos no fundo vivo e forte da queimada, ponto a ponto, onde a língua engole, o suor, fluxo, no meu Astro que te olha e olha, cheio de Mar contra o Ar maduro, infuso, onde respiras e o amor corre. Primeiro. Dentro. Depois. Fora."


Luisa Demétrio Raposo


À Escuta

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, julho 03, 2012 0 Carinhos de Luxo


Alguém escutará
aquele que reza para que a verdade
abandone a tentação
de falar sozinha ...


 
 
Plágio é Crime! Este poema, assim como todos os outros só podem ser publicados com autorização expressa do autor (JouElam) .
 
O seguinte blog plagiou vários poemas meus: http://themandolins.blogspot.pt/inha  sem minha autorização!


"Big-Fish"

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, julho 02, 2012 0 Carinhos de Luxo



Sem dormir, possuído pelo frio,
Com a neve entranhada nos ossos
Comecei o dia...
Com lembranças de fogo acesas no outro lado do mundo
Vi praias e sorvetes
Biquínis e chapéus
Protector de Sol para a pele
Assim sendo, então...
Despi -me!
Fiz-me nu!
Quem acendeu a fogueira?
Quem trouxe o sal para esta manhã?
Saltei à corda com os lençóis
Joguei à bola com o colchão
Em pé, fui montanha russa de mim mesmo
Em mim, cresceu avião, foguetão, vaivém
Fui Astronauta na lua do teu sol
Um pequeno passo, sapateado, em círculo e a galope
Com cabide e cruzeta:
- Fui valsa!
Se isto é cinema, filme, trilha sonora, só pode ser d´Animação
E criança fui, encantado com as cores e beleza dos personagens
Que morrem e re-morrem e renascem, renascem ...
Camião , comboio passando por cima de mim
Me espalmando, passando ferro
Personagem da Máscara * que de dia é homem
E de noite é boneco animado
Boneco mais homem que o homem ...
... A verdade paira e é rasa...
Voltei ao meu quarto de brinquedos
Fui novamente menino
A minha casa em Carrossel
Loucura dum momento
quase surrealista
Esplendida
Soberana
Soberba
A tua imagem
Os teus poemas
Irrompem nos meus sonhos
e rebentam como fogo-de-artifício
Que este seja o nosso Big-Fish *...
Frio vá embora!
Deixe o Verão da minha menina me aquecer!
Preciso de dormir
Dormir
Estou cansado,exausto
Amor,meu Amor
Se dispa e faça do seu corpo meu agasalho
A propósito ...

(Guarde este poema debaixo de sua almofada)


Balada d´Ausência -Ao Abril que (não) Foi-

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, julho 01, 2012 0 Carinhos de Luxo


Inquietação
dos braços em rosas
das rosas entrelaçadas
que queimavam
no regaço de Deus
era terra prometida
nas mãos do povo
eram os cravos que se davam
os abraços que voltavam
os beijos que renasciam
os sorrisos que enterneciam
as refrões que nos moviam
mas não , não eram os cravos,
-que não eram rosas, que não eram rosas!...-
são angústia
das vidas desesperadas
jardins num deserto ...
há uma lágrima que escorre pela madrugada
porque o sol tarda a nascer
e ninguém sabe
se a luz não volta mais
ou ... se ... foram ...
os nossos olhos que cegaram ...



Luiz Sommerville Junior , 300620122308


A Nascente e a Foz que me Alimentam

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, junho 29, 2012 0 Carinhos de Luxo


Abraçando-te
mergulho em todos os rios
e seus afluentes
oh ! eles transportam barquinhos de perfume ! ...
- viagem de infinitos roteiros -
ao longo...
das belas ondulações
do teu vestido !


À minha Dani com amor

Luiz Sommerville Junior , 161120111740


O Dia Em Que Tu Nasceste

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, junho 29, 2012 0 Carinhos de Luxo


Da vida que ao nascer
me sonhou
tudo das palavras
eu desconhecia
ainda nada sabia das letras
do teu nome que me inventava
universo em expansão
proporcional ao meu pequenino ser
crescer
e tudo ela , que te via,
nos meus sonhos de criança
escrevia na dança
da menina-bailarina
que é poesia florida
revestida
com o substantivo mais belo :
- esperança ou fé
sorrindo
no brilho lindo
d´arco-íris
fitando-me
e assim no tempo completo
aprendi
a seguir
o meu poema
predilecto


à minha amada Dani no dia em que celebramos 1 ano de união.


Luiz Sommer Dallavecchia, 160820111748


Da lua que inspira os poetas

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, junho 26, 2012 0 Carinhos de Luxo


Foram tantos os sonhos
que de olhos abertos
no tempo de menina sonhei
e que nunca os realizei...
Porque, meu amor, de fato sei
que se a lua soubesse
dos meus passos largos
eu não saberia dos teus,
se as estrelas soubessem
da cor dos olhos meus
certamente
eu não me veria nos teus
e se todas as flores
me fossem aroma
certamente eu morreria
por não saber
a cor e o cheiro das partículas
perfumadas do teu corpo...
E se todo o Mundo
coubesse em minhas mãos
seria insuportável viver
por não poder te reconhecer.

Sim,
são aqueles momentos
na varanda de Romeu e Julieta
que todo o Universo
contempla o nosso amor
e também é lá,
entre uma taça de vinho e um beijo,
que uma constelação de estrelas românticas
incita a lua
a contar as mais belas
histórias de amor aos poetas.

(Sagrado é estar
entre os teus braços
e nunca mais ter de sair de lá)


Daniele Dallavecchia 26062012,09:04


São Tantos Os Muitos Que Não São ("Guerra dos Clones")

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, junho 21, 2012 1 Carinhos de Luxo


Se fosse em pedra
a tela branca
onde esculpem letras azuis
ninguém apagaria
os sulcos vis
da poesia
que não tens
sobretudo
se fosse a rocha
aquela que do mundo é
sua mais elevada montanha
mas não és rochedo
és menos do que um grão
em desespero
por impossível - a imitação !

(limitação do que te é possível)







Luiz Sommerville Junior , 210620121656


Da Euforia em Órbita

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, junho 17, 2012 1 Carinhos de Luxo


Pensando
numa luz feita de bocas ,
num feixe luminoso
projectado por lábios ,
sinto-me tentado a encostar
o nariz às estrelas
p´ra sentir o cheiro das constelações ...
p´ra usufruir do perfume das galáxias
e ... ainda ...
p´ra aspirar ,
inundar as narinas ,
com a fragância da luz
e ...
ainda ...
encostar (de novo!)
o ouvido ao firmamento
para escutar o batimento
cardíaco do Sol ...


Luiz Sommerville Junior, 16062006, 23:57


Calígula - Albert Camus

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, junho 17, 2012 0 Carinhos de Luxo

Resultado de imagem para calígula
Da loucura se fez o Rei
aquele que a muitos amava
com alucinada inclinação,
sendo imperador sem lei
duma aterrorizada nação,
teatro, orgia, insatisfação
Calígula, príncipe da desilusão
morreu afogado em sangue
e ninguém soube , afinal,
se tinha coração...

Daniele Dallavecchia 16062012,23:21
in Crítica pela Crítica


Do Dia - O Apogeu !

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, junho 16, 2012 0 Carinhos de Luxo


De extraordinário
o ar enforca-se
o mar morre à sede
as nuvens andam grávidas de sol
e as flores ...
as flores ? ...
envenenam a terra ...
com amor ...
e as plantas e os frutos ?
são de Paracelso ! ...
... a dose
do esplendor


À Dani com amor neste dia muito especial das nossas vidas



Luíz Sommerville Junior , 160620121623


Da Cópia em Dissimulação

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, junho 16, 2012 0 Carinhos de Luxo


Não há o que comentar,
apenas o que posso é contemplar
o quanto gostam do meu versar,
e se o sujeito já não pode controlar
a ação ou ato de copiar
como poderemos a falcatrua evitar?
Deixemos "rolar"
quem cria sabe de si o ato de "criar",
quem inveja sabe de si o ato de plagiar,
mas nunca poderá, há de se comprovar
algo de original, um dia, criar!


Daniele Dallavecchia, 16062012, 03:32


Asterisco ou ... Estrelinha no Seio e no Rodapé

Postado: Luíz Sommerville Junior On sexta-feira, junho 08, 2012 1 Carinhos de Luxo

Divina és, ó noite , em que eu te escuto !
ó alma que da montanha és , em chão !
da flor o influxo !
que embalas estrelas no rumor da terra !

(Encontramo-nos no meio do parênteses , madrugada !) *

Sagrada és , ó manhã ,
que dos olhos dela me falas !
do monte que se levanta
quando sua pluma enriquece os céus
sou do seu sorriso em forma de asa
sobre o qual me inclino , cativo !
ela desperta-me na sua lua ajardinada !

* (Ao centro  ... os corações abraçam-se ,
e , é , neste gesto banal ,
comum de por tantos praticado ,
que desponta o original e essencial
acto daquele que tornaste o teu amado)



À Minha Dan , com amor



Teu Jo , 080620121202


O Pintor de Instantâneos

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, junho 07, 2012 0 Carinhos de Luxo


A vida,
no final,
é tela resumida
pelas cores
que nos pintaram
a história,
ora doce,
ora amarga...
Sei de mim
e da cor viva
que ainda sou.

Daniele Dallavecchia 14052012,03:11


Soneto Da Agonia

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, junho 07, 2012 0 Carinhos de Luxo

Pelo inferno e céu de todo dia,
Há de se ter mais amor, mais compaixão.
Tua ausência me traz essa agonia,
Há de se doar mais, espantar a solidão.

Pelo tédio e melancolia do domingo,
Há de se ter no peito quantos corações?
Se me faltam os teus doces carinhos,
há de se ficar presa como devota em orações?

E se te quero comigo um pouco, há de se pedir?
E se sinto tanto sua falta, é preciso chorar?
E se não sei onde moras, como te procurar?

E se sentes todo esse amor, por que não permitir?
E se me queres mesmo ao teu lado, é para estar.
Não me roube a solidão se não puder me amar!


Daniele Dallavecchia, 060920100024

(Imagem : Edição , montagem e computergraphy
de Luiz Sommerville Junior . Fonte : Google)


O Cão Invisível

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, junho 07, 2012 0 Carinhos de Luxo


Era uma vez
o gato das botas...
com um bigode na bicicleta
e um laboratório onde inventava
os robôs que os pais não sabiam
e tinha na cabeça
um avião e uma avioneta
p´ra viajar numa terra onde as asas
chegam depressa
Dizia o amigo coelho
(que por acaso era poeta)
- O meu céu é de cenoura
e o meu mar é de couve ,
quem comigo dorme
tem sonhos côr de horta
voa na cama do vento
e anda aos pulos
nos campos de trigo
e sabe como é bom ter um amigo
Um dia
- há sempre um dia -
mandaram o gato num foguetão
e o coelho num submarino
Um menino bonito
chorou e gritou:
- Quero o meu gato, quero o meu coelho ,
se soubessem como eu adoro o meu cão ! ...
Mas, não, não sabem...
Os grandes não sabem nada... são uns chatos...
se soubessem tinham reparado
como a terra retorceu o bigode
e a bicicleta do gato ficou sem botas


Jouelam , 1995 - O Tecido das Flores -


... E Ainda Que Chorem ...

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, junho 05, 2012 1 Carinhos de Luxo


A boca demarcará a fronteira,
via de duas mãos, minhas que são tuas,
damas de honor
lâmpadas na galeria do nosso amor
no lábio inferior - é aqui !
no lábio superior - atreve-te !
no teu rosto mora o meu sorriso,
e no teu corpo o meu paraíso, 
urgente: o beijo espera-nos...
para selar o eterno!

emergente:
o beijo acontece
- é selado
duas bocas uma só via
mãos minhas que são tuas,
a esquerda, toma-nos
a direita, aliança(nos)
imergindo
no doce manto
da palavra
sim!

(agitadas estão as alianças para voarem até à esquerda e os beijos para a direita...)

Amo-te,beijo!


Do saber viver (a roda da vida)

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, junho 04, 2012 0 Carinhos de Luxo


Falar do destino,
esse menino,
ora com juízo,
ora ferino,
é desatar
as finas teias
de seda
da roda da vida,
cutucar a ferida,
abrir a cortina
do coração
e beijar a boca do amor,
seja na chegada
ou na partida.

(Sempre há de ter VIDA!)

Daniele Dallavecchia, 0406201201:06


Eu Que Sou do Teu Sangue

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, junho 04, 2012 0 Carinhos de Luxo


Se eu fosse o teu  sangue
seiva que acende os teus olhos
com a mais bela enciclopédia
extravasando-a
em todas as direcções
o que eu faria com meu corpo
que de teu se fez tu ?
(e com o decorrer do tempo ...)
o que eu faço com a minh´alma
que de tua assina teu nome ?
o que faço com este eu
que não mais é meu ?
vibro-o ! canto-o !
em tuas veias !



Luíz Sommerville Junior , 040620120059


Do menino Balzac

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, junho 04, 2012 1 Carinhos de Luxo


Quem sabe o que é estar preso
dor que dilacera corpo e alma?
Quem sabe o que é ter o peso
duma vida sem descanso ou calma?

Pássaro cativo, lento desespero
da maldade de se ver na palma
da mão dum destino ao avesso,
cruel,dançando em ritmo de valsa

Notória ave d'asas tristonhas,
olhar de grave pesar ao tempo
frágil corpo, sonhando façanhas

Alcançar voo, subir as montanhas
ou morrer no leve pensamento
do carinho pueril duma face risonha


Daniele Dallavecchia, 04062012047