Távola De Estrelas: Juliet (Do final feliz que a história ocultou)

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Juliet (Do final feliz que a história ocultou)

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, maio 21, 2012 0 Carinhos de Luxo


São aqueles instantes
-os detalhes que ninguém repara-
onde me acho, onde te vejo,
onde o medo não é nada,
entre um carinho e um beijo
acolhida no calor dos teus braços:
- meu amor, meu pai, meu irmão -
descanso a alma no teu peito,
minha mais perfeita morada...
O roçar da tua barba no meu rosto,
o apertar do teus desejos, tesos!

E quando todos torciam
pelo desencontro
meu corpo e o teu fecharam-se
no perfeito encaiche de nós dois
e o para sempre
nasceu de vez em nossas bocas
e o talvez morreu na esperança
dos braços da tristeza que nos queria
carne morta, sangue e dor.
Nunca um coração bateu
num ritmo tão perfeito
e irmanado - nosso -
E se modo ainda
a loucura propunha ao mal
de nos querer separar
-morte então aos dois
que um só são, havia de encomendar!
porque quando a minha letra capital
uniu-se a tua
no céu houve grande recital,
era a primeira vez que duas lágrimas
perdidas
se encontravam...

Se me desespero em prantos,
é porque sei que nem todos os dias serão santos
e como poderia eu, um dia ainda viver
se teus olhos para sempre
não me pudessem ver?

E quando
Caronte, a zombar vier,
cobrar a moeda que não é vida,
seja lá como for,
não te esqueças de mim
meu grande e eterno amor...


Daniele Dallavecchia, 21052012
com todo o meu amor para Jo

0 Response for the "Juliet (Do final feliz que a história ocultou)"

Postar um comentário

Beijinhos