Távola De Estrelas: O Cão Invisível

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

O Cão Invisível

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, junho 07, 2012 0 Carinhos de Luxo


Era uma vez
o gato das botas...
com um bigode na bicicleta
e um laboratório onde inventava
os robôs que os pais não sabiam
e tinha na cabeça
um avião e uma avioneta
p´ra viajar numa terra onde as asas
chegam depressa
Dizia o amigo coelho
(que por acaso era poeta)
- O meu céu é de cenoura
e o meu mar é de couve ,
quem comigo dorme
tem sonhos côr de horta
voa na cama do vento
e anda aos pulos
nos campos de trigo
e sabe como é bom ter um amigo
Um dia
- há sempre um dia -
mandaram o gato num foguetão
e o coelho num submarino
Um menino bonito
chorou e gritou:
- Quero o meu gato, quero o meu coelho ,
se soubessem como eu adoro o meu cão ! ...
Mas, não, não sabem...
Os grandes não sabem nada... são uns chatos...
se soubessem tinham reparado
como a terra retorceu o bigode
e a bicicleta do gato ficou sem botas


Jouelam , 1995 - O Tecido das Flores -

0 Response for the "O Cão Invisível"

Postar um comentário

Beijinhos