Távola De Estrelas: Metafísica da Beleza in situ (sobre você)

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Metafísica da Beleza in situ (sobre você)

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, dezembro 07, 2012 2 Carinhos de Luxo

A tez pálida e límpida 
como mármore esculpido 
o olhar cálido, 
nem leve 
tampouco demasiado sofrido
 para saber o que é o amor, 
para saber desviar-se da dor. 
Cada traço do seu rosto 
é rota decorada na minha íris 
obssecada pela beleza única 
do teu rosto másculo, sensível 
Apolínico e, ao mesmo tempo, Dionísico... 
És festa,és beleza, és vinho, és poesia e és dor
para eu saber a dose certa de cada sentimento 
que vem de ti 
e sentir tudo na carne 
como bálsamo que alivia 
ou como faca que corta lentamente... 
és a dúvida e a certeza 
de eu sempre querer estar lá no lugar 
onde ninguém esteve jamais 
no teu coração in natura


Daniele L. Dallavecchia da Silva

ao meu marido, com todo amor

Jorge M P Dallavecchia da Silva

Categories:

2 Response for the "Metafísica da Beleza in situ (sobre você)"

  1. JouElam says:

    Amada , ontem falei-te sobre as 3 posturas possíveis do ser vítima de injustiça , mas , oh lapso de luz apossando-se do apogeu da escuridão ! , não conversamos (devido ao teor do diálogo) sobre a única postura possível do humano quando reconhecido por quem reconhece , identifica , a alma gémea ... oh ... esquecimento , ou falta de tempo imperdoável ! , és mais do que eu , és tudo o que o meu eu Sonhou e SONHA e ... mudando as agulhas que colocam o trem na trilha do sublime - uma só frase pra este teu poema GENIAL :

    - OBRA PRIMA !

    Perdoa as caixas altas , mas eram inevitáveis !

    Grato , teu profundo teu !

    Adoro-te

    Beijo

  2. Nossas conversas, meu amor, sejam em voz alta, sejam dormindo quando nos procuramos e nos aconchegamos de tão aconchegados -sufocados - talvez dois seres conscientes do pouco tempo que a terra nos proporciona e, saber que o mundo é injusto, ou seja, pedras no nosso caminho, nos deixa assim, como quem quer andar com uma placa bem grande de F***-se para aquilo que não é sadio e amável e, viva ao que é vida. Te amo, Job, muito mesmo!
    tua Dan, hoje e para sempre!

Postar um comentário

Beijinhos