Távola De Estrelas: Agosto 2012

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

A Metafísica Do Amor

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, agosto 18, 2012 2 Carinhos de Luxo


Amo-te hoje
tanto quanto te amei ontem
amar-te-ei amanhã
tanto quanto te amo hoje
supor que algum dia te amei menos
seria reconhecer que nunca te amei
assim como supor que é possível amar mais
equivaleria a admitir que não se ama o suficiente
então ...
amo-te sem comparação com tempo algum
neste amor em que todo ele é
incomparável

À Dani , com amor


Luiz Sommerville Junior (JouElam) , 180820121505


Filhos Da Intempérie

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, agosto 14, 2012 0 Carinhos de Luxo

Foram-se todas as madrugadas
- agarradas !
de mãos dadas , quais irmãs gémeas
de todas as noites
- despedidas !
e o que resta ?
um exército de nuvens sombrias
pairando ...
à espera
duma explosão de gritos
e todos sabem , mas não confessam
que as mães apenas têm nas mãos
duas conchas de chuva
que os pais regressam a casa
com o corpo carregado de vento
e ... os filhos dos cravos
são filhos da tempestade
próxima

(Para onde vai a alegria
quando as sombras sorriem ?)


Luíz Sommerville Junior (JouElam) , 140820120040


O Sopro Do Teu Beijo

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, agosto 12, 2012 0 Carinhos de Luxo

Devaneios repousados na ínsula , regaço bordado !
no astro estampado na janela ,  supremo !
doutrina pintada ao deus-dará
acção das dores sangrando de sagradas , perfeita !
num calar surdo de mudo, eloquente !
porque o silêncio casou com uma nuvem , sem boca 1
talvez eu possa prender o teu mel rosado , poderoso !
nessa linha entre a atmosfera deste aqui , aí !
sentindo como o sufôco é belo
na linguagem gestual, mímica de arlequim
seguindo a redacção do corpo no centro , do texto !
tão velozmente
que o sopro do beijo
prisioneiro do nós , resplandece !
na brisa que o derrama o universo , líbero !
traçando uma estrada, instantânea !
que une a janela desta pequena terra
às avenidas do sol imenso ...


Luiz Sommerville , 2709201015,55

Nota : as avenidas do sol imenso é uma metáfora e refere-se às avenidas e ao sol ,
luz , de Copacabana e seu meio envoltente


Publicado em 27 Set 2010 no site Luso Poemas e também no blog Távola De Estrelas


O Dia Em Que As Estrelas Choraram - Hiroshima 6 Agosto 1945

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, agosto 06, 2012 0 Carinhos de Luxo


Prólogo

Daquele solene minuto
que marcou os anjos nas suas asas
milhões de seres em perfeita normalidade, sonhavam ...
beijavam a bendita dádiva da madrugada
do dia que da vida a criança embalava
na doçura dos lençóis
os seres abraçados nos sóis entrelaçados
que no interior do calor a cintilar
germinavam nos ventres em cruz rosados
a perpetuar através dum instante
beijos d´ar nos poros a rasgar
as flores que no amor glorificam
o eternizar

Requiem

Mas , inesperadamente
como um ladrão violando a morada
no céu alastrou o fogo
que nos corpos a carne vaporizou
a chaga hedionda que gravou
fantasmas nas pedras da calçada
e , para quem não acredita
que o inferno é a Terra quando não amada
eis que o diabo naquele dia triunfou
duma só assentada
eis que suas chamas de laranja em implosão
rasgaram rios de sangue que secaram na barbárie
do leito profanado pela ciência ao comando
dos homens ao serviço do mais vil demando

De rastos , a verter pedaços do ser , - a desaparecer ! -
ele ainda tentou alcançá-la na janela
instantes antes de flores adornada
mas quando olhou - seus olhos queimavam por dentro do cérebro -
ainda vislumbrou entre o horror a sombra da sua amada
e num esforço descomunal murmurou, a falecer de dor :

- Hiroshima meu amor ...


Luiz Sommerville Junior , 080720111951


A Minha Carne É Feita De Livros

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, agosto 04, 2012 1 Carinhos de Luxo

A  minha carne é feita de livros... 
de histórias da carochinha
vividas no vapor da boca
que no adeus da aurora
cobriam de magia
o tormento do meu travesseiro

A minha carne é feita de livros... 
encaixados à força da régua
e do carimbo
do "tens que aprender a lição!" 
enquanto lá fora... 
a saia primaveril
que vestia os meus sonhos
me inundava
de interjeições... 
ah ! ...

A minha carne é feita de livros... 
e rogo a quem os abriu
o milagre
de jamais os fechar...  


Luiz Sommerville Junior ,  Do livro A Madrugada Das Flores *(¹) , Corpos Editora , 2011
(c) Távola De Estrelas 

* * * * * * * * * *

Um dia , sem que eu pudesse imaginar o quanto algumas palavras teriam um papel determinante e decisivo nas nossas vidas , mas que eu sabia que falavam de todos os sonhos - falecidos ! - da criança , jovem e adulto que um dia fui , escrevi este e mais um conjunto de textos (cerca de uma dezena) para um ADEUS à poesia (à vida ?) ... Estava longe d´imaginar , ou se calhar o meu coração na sabedoria da emoção , sabia que seria , justamente , a poesia aqui e agora re-publicada , o início do mais belo, profundo amor . Grato , minha adorada Dani , por teres lido nas minhas tão banais e desapegadas palavras o GRITO de emergência que as mesmas encerravam . Assim ... Tu já voavas ... e eu ainda , nem sequer , da asa, lhe conhecia a forma e muito menos o seu desenho escrito em forma duma passagem de dicionário , contudo , cruzaste o mundo - um ano atrás - , os céus inundaram os meus olhos ... e ... então ... pela primeira vez na vida aprendi o valor ... da terra ! Terra em que o teu sorriso me estremeceu para teres(me) , e seres em mim - Asa de todos os nossos voos . Noiva de todas as viagens .


Adoro-te , minha nenem !

Com amor , Jorge 

Aos dias 4 do mês de Agosto de 2012


*(¹) AMadrugada Das Flores é prefaciado pela escritora
e entomologista Daniele Dallavecchia