Távola De Estrelas: Pátria desalmada

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Pátria desalmada

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, setembro 27, 2013 1 Carinhos de Luxo



Frente ao verso que me desempara
construo na mente infinitas soluções,
choro à tarde uma angustiante e rara
melancolia, muro das minhas desilusões!
Esta bandeira que ostenta bravuras
dum vermelho sangue carregado pelo verde
esperança de tantos corações
abandonados pelo tempo, pelas loucuras
dos teus nobres e valentes varões.
Ó Portugal que não me escolheu,
Ó Portugal do grande amor meu
Ó Portugal que tão mal me acolheu
Abençoa teus filhos, tua carne e canção
perdoa os sarilhos dos teus governantes
palco vergonhoso, palhaços em apogeu!
Beija a fase do teus tantos amantes,
mesmo os que não são sangue teu
adota com carinho mais um coração
e escreve na minha história
a bravura e o acolhimento materno
que fez fama grande noutrora
Ó Portugal que vive longo inverno,
acorda! Abre teus olhos brilhantes
volta ao que eras antes
faz feliz mais uma vez, de novo!
O teu querido e amado povo!

Daniele Dallavecchia, 26092013


Categories:

1 Response for the "Pátria desalmada"

  1. Ó amor, que poema!Conseguiste transmitir aquilo que a maioria dos que vivem nesta terra pensam, mas não são capazes de escrever, salvo honrosas excepções. Digo-te Pátria Desalmada é um épico, poesia com força, mensagem e forma guerreiras - GRANDE!
    Minha querida, parabenizo-te por mais uma poesia GENIAL , como tal, incomparável.
    Beijo-te, minha mulher amada.
    Amo-te,

    Teu, Jo

Postar um comentário

Beijinhos