Távola De Estrelas: Do Mistério

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Do Mistério

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, março 18, 2014 2 Carinhos de Luxo


Da sabedoria invulgar
que almejo e não encontro
do sal que quero provar
ao mercúrio e seus encantos
ao mais alto grau do bem saber,
sigo os ensinamentos do Mestre
e ouço dizer da embriaguês lúcida de Paracelso
que só de pensar curava
Sonho, sonho com o dia do despertar
oro, leio, oro, releio
e meus olhos se abrirão
para a verdade da antiga nova consciência
o renascer dos taumaturgos
e não me importava em ser muda
se também os pudesse fazer
se ao tocar, pensar
mesmo de longe o bem pudesse agir 
As mais belas telas cegam-nos reluzentes
 o esplendor  não se pode explicar,
e o mistério não se quer a todos revelar.
Mas fazer o bem é o caminho
para a Pedra filosofal 


Daniele Dallavecchia, 18.03.2014

Categories: , ,

2 Response for the "Do Mistério"

  1. Da sabedoria que almejo
    invulgar que não (me)encontra
    do sal que provo, mas não me salga, a alma! ...
    ao mercúrio e seus encantos em química que não domino
    ao mais alto grau do bem saber, provarei desse néctar transcendente ?
    sigo os ensinamentos do Mestre , a palavra em acção no sangue do irmão
    seja ele o desconhecido que nunca vi, mas tem sêde ...
    e ouço dizer da embriaguês lúcida de Paracelso,
    e embriago-me nas suas doses,
    que só de pensar curava, porque amava(amou e ama) o próximo.
    Sonho, sonho com o dia do despertar,
    e desperto já em sonho transformado,
    oro, leio, oro, releio,
    (ah, se eu soubesse orar quando a leitura queima meu olhar!)
    meus olhos teriam mais luz do que qualquer estrela
    para a verdade da antiga (nova) consciência, mas a lucidez
    para ser o maior bem do mundo deve nascer antes de nós
    no renascer dos históricos taumaturgos
    e não me importava em ser muda, de boca selada,
    e surda para cantar d´outrora a imagem do corpo
    gravado numa só carta e cartada
    em cores duma arte que abraça o mundo
    ah! Madrugada ! ...

    Grato pela partilha. Perdoa, Minha Dani, ter estragado o teu poema, a minha incapacidade galopante, é, deveras,preocupante. Penso que é chegada a hora de parar, ficar quieto e deixar a escrita para quem sabe.

    Parabéns, amor.

    Beijo.

  2. Tudo está ao nosso redor
    tudo se faz ver
    mas cremos tão pouco
    que nos cegamos às maravilhas
    O egoísmo, a inveja e todo sentimento inferior
    tornou os humanos mesquinhos
    onde um cego guia outro cego
    Deus criou o Universo
    Enviou Seu Filho como exemplo
    E nos deixou o Espírito Santo
    na natureza, o espírito de Deus
    Pudera, todos enxergassem
    a divina sabedoria dos ensinamentos.


    Obrigada, meu amor, pelo teu comentário.
    Te amo muito!
    beijo da tua Dan

Postar um comentário

Beijinhos