Távola De Estrelas: Março 2014

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

A Voz Do Pai - Para Onde Vai a Morte?

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, março 29, 2014 1 Carinhos de Luxo





Foi há tanto tempo que os astros faleceram
que já não lembro do sol incerto
que ontem em ícones estelares, tantas vezes,
destruindo as loucuras (im)previsíveis
e eternizando o que no universo é imortal, brilhou!
- para rasgo da pele de tantos e perdidos poetas? -
desse tanto que era muito mais-do-que tudo
há um amor que sobrevive em mérito
dum lado cravejado por punhais firmes do teu sangue
mais que abastados de transbordantes do teu corpo
que foi  (e eternamente será) todas as canções
do tudo ou nada que eu quero ouvir a queimar
toda a vida que me resta para te glorificar
orgulho desnecessário de quem te ama
em todos os passos titubeantes das conversas surdas e mudas com Deus
quando o céu da boca se posiciona minuto a minuto
na via-sacra do teu timbre do qual nascia a magia
dum templo respirado de borboletas
e desde que o sagrado existe
talvez mesmo antes do nascimento dos ventos
tu que te foste para nunca te ires embora
permanecerás em tudo o que há de mais belo
por ...que ...
nenhum deus dominará
o altar de luzes sopradas nas tuas preces
tal como apenas tu dominaste em absoluto
o dom abençoado do que é mais meu de teu :
- A tua voz cantando

(Entre o norte e o sul
ao centro da rosa-dos-ventos
há um coração que é direcção das tuas escolhas
e no qual se agita a questão
- para onde vai a morte quando a alma é vida ?)


Ao meu pai , um ano de saudade



Luíz Sommerville Junior , 280320142351 , A Minha Carne É Feita de Livros


O Nosso Íntimo

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, março 24, 2014 0 Carinhos de Luxo


O triunfo é a sorte dos sobreviventes
às marés cheias
que naufragam naus
no abismo obscuro
do nosso mais íntimo medo
O Sol que brilha e clareia a mente
também pode queimá-la
como impulsos elétricos
que avariam no compultador
pelo excesso de energia
Ó , amor
Ó, príncipe
Quantas dores
quanto anseio por dias de primavera
nesse inverno tão longo e intenso
Quantas vezes, amor meu
nossa mente se desviou
nossa mente se esquivou
da dor profunda da perda
do desgosto
do abandono...
Mas quem tem um amor verdadeiro
tem TUDO!
E foi esse amor
que nos salvou
da tristeza,
da desgraça
da morte.
Hoje
ao passar pela nossa praça
lembrei da felicidade
dos biscoitos de baunilha
e quando cheguei em casa
pude perceber
tudo aquilo era só um motivo
p´ra dizer TE AMO
por você estar aqui
sempre comigo.


beijo da tua esposa.
Dan




In memoriam

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, março 19, 2014 0 Carinhos de Luxo


Esta noite
ao adormecer
escrevi uma sentença
por dentro dos meus olhos
- chuva abraça a minha visão!
e a chuva amainou
com seus orvalhos de prismas
e de paz
meu coração apertado
e ao despertar
com o sol raiando em mim
lembrei de ti e da tua voz,
do teu andar e das coisas nossas...
escrevi (percebi)uma trovoada no meu olhar:
duas tempestades diferentes
e tão iguais
mais logo, quando eu me deitar
com estrelas piscando a me ninar
sonharei
com dois sóis no leito do desfalecimento
e com a chuva,
a chuva que traz e leva...

(forçando o futuro a gerar os sonhos que eu desejar!)

mas a minha chuva hoje é carne , suor , sangue
e alma : de fora para dentro
vertendo emoções, invadindo minha mente
e minhas mãos acariciando
o pensamento: de dentro para fora
e desejo mudar o sentido do que penso (sinto):
que a dor seja o perfume das tuas lições
e das minhas mãos liberto a pomba branca
desta saudade.
porque sonhei com dois sóis trazendo um novo dia
e quando abri as cortinas da sala
todo o meu ser se iluminou
e lembrei-me das orquídeas no centro da mesa
tão perfeitas como a vida!
porque há um novo dia todos os dias.
e porque sei que os anjos sorriem
ao tenor que agora chega ao céu



Ao meu pai , In memoriam



Luiz Sommerville Junior 28032013



Meu pai : 19 Março 1930 - 28 Março 2013


Do Mistério

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, março 18, 2014 2 Carinhos de Luxo


Da sabedoria invulgar
que almejo e não encontro
do sal que quero provar
ao mercúrio e seus encantos
ao mais alto grau do bem saber,
sigo os ensinamentos do Mestre
e ouço dizer da embriaguês lúcida de Paracelso
que só de pensar curava
Sonho, sonho com o dia do despertar
oro, leio, oro, releio
e meus olhos se abrirão
para a verdade da antiga nova consciência
o renascer dos taumaturgos
e não me importava em ser muda
se também os pudesse fazer
se ao tocar, pensar
mesmo de longe o bem pudesse agir 
As mais belas telas cegam-nos reluzentes
 o esplendor  não se pode explicar,
e o mistério não se quer a todos revelar.
Mas fazer o bem é o caminho
para a Pedra filosofal 


Daniele Dallavecchia, 18.03.2014


Index

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, março 12, 2014 0 Carinhos de Luxo



Doíam-me os poemas
nas suas páginas em combustão
alastrava a raiva dum fogo posto
Para o qual não havia água
Que o abrandasse
Lacrimejava-me o olhar
De tanto verso incendiário
- Quem é que via o meu  sangue a arder ?

E se me perguntares:
qual a razão desse impulso ardente
Dir-te-ei:
-Nunca soube em que ponto cardeal
O poema se cruza com a sua estrela ! ...





Luíz Sommerville Junior, Eu Canto O Poema Mudo, 120320141607


Imortal

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, março 12, 2014 0 Carinhos de Luxo



O pai tinha um sonho. O filho tinha uma certeza: - o sonho do pai
 
Um dia o pai morreu, mas a certeza do filho não.



Luíz Sommerville Junior, 120320140127


Alma

Postado: Daniele Dallavecchia On quarta-feira, março 12, 2014 0 Carinhos de Luxo

Por vezes
o grito afoga a voz
gargantilha
em forma de camisa de força
em que a alma prisioneira
vê-se escrava em seu corpo
Quero voar mas os pés não se soltam
quero correr mas o corpo pesa
quero mergulhar mas os órgãos não aguentam
Oh, pobre de mim!
tão imperfeita
num mundo para se sofrer, crescer
E quanto mais abro os olhos
mais vejo que até um percevejo
criatura pequena de Deus
é mais feliz que eu
Sim, aceito minha atual condição
é só essa vida assim
e a vida é tão curta
comparada com a eternidade
não haverá mais grilhões para mim
se a simples sabedoria em descobrir
o real significado das palavras
sentir, doar, crescer, amar
intimamente, eu consiga alcançar
A sabedoria é luz
que cega os ignorantes
e mesmo os que são amantes
da cultura outorgada,
por vezes, afastam-se
daquilo que se é a filosofia acertada
do foco em Deus
onde só os grandes espíritos
que em muito são e pouco monstram-se.
conseguem alcançar tais ensinamentos
"orar, ler, ler, ler, reler, agir"
A humildade é a virtude dos grandes mestres.


Daniele Dallavecchia, 12032014.0028


Inaudível

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, março 11, 2014 0 Carinhos de Luxo



É tão difícil
- Ó música que impiedosamente me castigas!
Escrever conceituando o silêncio
Sua brancura é demasiada
Sua negrura tão excessiva
- asfixiante ! –
Que a surdez
Inviabiliza a boca
- Ó beijo atmosférico que me rejeitas ! ... –
Fechando-a
Na mente que busca em vão
A anestesia
Para a palavra ferida



Luíz Sommerville Junior, 110320140247


É Proibido Fechar Os Olhos

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, março 11, 2014 0 Carinhos de Luxo



O silêncio ...
de tantas vidas que se vão
porque a bondade morreu
nas prosas
dos sem-coração...
 somente os surdos
escutam os gritos
apenas os mudos
falam da crueldade, barbárie ...
porém, quando a noite
acende milhões de velas perfumadas
no firmamento
há uma voz que dialoga
com o deserto ...

Para quê ? 

Para que o oásis irrompa de súbito
precisamente
junto do ventre que em luz
casou com o sol
e escreve
- é proibido fechar os olhos.

Ah , ver é gritar ao vento
a beleza da alma que namora com ...
- e por isso sofre -
... com a morte dos que deveriam estar vivos !...


 

Luíz Sommerville Junior, 050220141838


Meus Vitrais

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, março 11, 2014 0 Carinhos de Luxo



Se eu pudesse
te contaria
de forma única,
para embelezar teus dias,
todos os contos
que se vitralizam nos meus olhos
Mas não sou poeta
nem angélica
Sou apenas aquela
que sonha te seguir
no raiar da vida
e também no cair
Mas se eu pudesse
ah, meu amor
quantos vitrais nos meus olhos...



Daniele Dallavecchia, 11032014.00:04

Amor,

Se eu pudesse
beijaria o teu pensamento
abraçaria a tua voz
e depois cantaria
as tuas ideias
com o olhar em fusão
nos teus cabelos
que campos de trigo são
sim, se eu pudesse
tactearia
as tuas células
vitrais impossíveis de contemplar
mas que são cores e formas
possíveis de reais
d´união em permanente revolução
do amor num só ninar
enquanto por todas as vidas
a vida nos abençoar.

Teu, Jo

In Luso-Poemas, página de Daniele Dallavecchia, 11 03 2014,00:43


Estrelas

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, março 11, 2014 0 Carinhos de Luxo


Ontem

na tentativa d´adormecer

resolvi contar as estrelas do céu ...

três milhões setecentos e ...

... adormeci

nunca o ontem

foi tão infinito !...



Luíz Sommerville Junior in Facebook, Março 2014, 23:57


Protegido

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, março 10, 2014 0 Carinhos de Luxo



Guardado o poema

na água, em dia de chuva morna

no ar , em tarde de crepúsculo húmido

guardado na luz intermitente dos pirilampos

e ficar a ver , em deleite,

as palavras alinhando-se

letra a letra , sentadas delicadamente

na beleza invisível dos anjos ...




Luíz Sommerville Junior in Luso-Poemas página de Vania Lopes, 10/03/2014 01:05