Távola De Estrelas: Setembro 2014

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Ontem - da noite que me fez chover

Postado: Daniele Dallavecchia On terça-feira, setembro 30, 2014 0 Carinhos de Luxo


D'alma minha que tanto orou
teus braços santos
um dia feliz encontrou
toda a beleza num só ser
todo o explendor
de um grande amor viver
sem ilusão
entrando no mais fundo,
adentrando a escuridão
do ser amado
para encontrar a luz
que faz nascer
o verdadeiro amor.
e morrer no dia derradeiro
feliz
por amar muito além
do que os olhos podem ver
unir as almas
ainda na terra
e crescer
para virar semente
e germinar
noutro quelquer lugar
e ao teu lado florescer
eternamente...

Daniele Dallavecchia 29.09.2014



Barquinhos de Papel II

Postado: Daniele Dallavecchia On sexta-feira, setembro 26, 2014 1 Carinhos de Luxo


Sabes , meu doce amor ,
quando fui criança, a rua carregava em seus ombros
os belos rios que a chuva de Fevereiro
espalhava ao longo das alamedas povoadas de frondosas árvores,
na sua parte mais alta nascia o encanto duma viagem
construída pela imaginação de pequeninos Vasco´s da Gama
colocavam-se as canoas construídas com as folhas em branco
dos cadernos escolares
que num ápice venciam as ondas rasas,
enxurrada dos céus,que rolavam desenfreadamente pela calçada
eu desatava a correr , seguindo com dificuldade, a rota delas ,
até ao ponto em que o caudal estreito se alargava
formando uma enseada, espelho d água, onde todos os navegadores
paravam maravilhados, em contemplação!,
por haverem conquistado no meio da tempestade
a serenidade, a paz de espírito e a alegria
apenas ...
com um barquinho de papel ...



Luiz Sommerville Junior(JouElam), 140220121014


Alvo

Postado: Luiz Sommerville Junior On quinta-feira, setembro 25, 2014 0 Carinhos de Luxo

Quero
apenas quero
as minhas mãos
sentindo...
o teu rosto
sorrindo...
mais
do que todo
poema que escrevo
poemas demais (?)
eu..
apenas quero
que cada instante
valha mais
muito mais
do que todo e qualquer verso




Luíz Sommerville Junior, 240920142353





___________________________________________________________________________




Comentários Luso Poemas




Enviado porTópico
Manufernandes
Publicado: 25/09/2014 11:07  Atualizado: 25/09/2014 11:07
Luso de Ouro

Usuário desde: 09/12/2013
Localidade: Portugal
Mensagens: 2936
 Re: Alvo
Responder

Enviado porTópico
namastibet
Publicado: 25/09/2014 16:43  Atualizado: 25/09/2014 16:43
Da casa!

Usuário desde: 02/05/2010
Localidade:
Mensagens: 432
 Re: Alvo
apenas quero dizer
"bravo"
Responder

Enviado porTópico
MaryFioratti
Publicado: 25/09/2014 17:14  Atualizado: 25/09/2014 17:14
Colaborador

Usuário desde: 09/02/2014
Localidade:
Mensagens: 686
 Re: Alvo
Tao bonito Sommerville.
Muitas vezes queremos tanto dizer em versos o
que em segundo podemos triplicar a sensacao
apenas com um toque.
Muito lindo!
Sempre perfeito no conjunto.
Sou sua fa.

Beijos


*Mary Fioratti*
Responder

Enviado porTópico
apsferreira
Publicado: 25/09/2014 19:58  Atualizado: 25/09/2014 19:58
Colaborador

Usuário desde: 27/12/2009
Localidade: Ponta Delgada - Açôres - Portugal
Mensagens: 1553
 Re: Alvo
Outro belo texto, Sommerville.
Gostei imenso. Uma refexão
muito bem concebida.
Abraço,
Responder

Enviado porTópico
gil de olive
Publicado: 26/09/2014 02:19  Atualizado: 26/09/2014 02:19
Colaborador

Usuário desde: 03/11/2007
Localidade: Campos do Jordão SP BR
Mensagens: 5012
 Re: Alvo
Enviando aplausos para mais esse excelente texto!
Responder

Enviado porTópico
Vania Lopez
Publicado: 26/09/2014 05:07  Atualizado: 26/09/2014 05:07
Colaborador

Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 16524
 Re: Alvo
Do sereno esplendor vem o querer, soberano.
Obrigada. Bjs
Responder

Enviado porTópico
danieledallavecchia
Publicado: 26/09/2014 05:12  Atualizado: 26/09/2014 05:12
Da casa!

Usuário desde: 21/08/2011
Localidade: Rio de Janeiro - BR
Mensagens: 401
 Re: Alvo
Quero, apenas quero, ler tantos versos quanto a pena de ouro do poeta consegue escrever. Belo, terno, sentimental. Amei, amor. beijo.
te amo!
muito!


Fonte: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=279101#ixzz3EOVQVqO9



"La Danza De Las Horas"

Postado: Luiz Sommerville Junior On terça-feira, setembro 16, 2014 0 Carinhos de Luxo



Quisera eleger o dia
hora,minuto,segundo e milissegundo
com infalível exactidão
da gravata preta
na qual ninguém concluirá o nó …
sobre a camisa branca
interior do terno
da mais anónima festividade
descansar em cama de sal
lençóis espraiados
no infinito de toda a erva daninha
abraçar os fractais agitados
do fogo qual dança de rua
que acalentará meu corpo
enquanto no objecto que o sustenta
(escorrendo em lágrimas de cera quente… 
quase …)
a cortina vermelha
desce ...

e …

o que fora quente, 
mais do que imolação
finalmente abarca o inverso:
-gélido
no espaço-tempo do corpo
verdadeiro
porém…
vencem os guerreiros de contra(-o-)tempo
campeões da vida
falsa…





Luíz Sommerville Junior, 160920141438






O Mistério Do Mistério

Postado: Luiz Sommerville Junior On segunda-feira, setembro 15, 2014 0 Carinhos de Luxo

Da sabedoria que almejo
invulgar que não (me)encontra
do sal que provo, mas não me salga, a alma!
... ao mercúrio e seus encantos
em química que não domino
ao mais alto grau do bem saber,
provarei desse néctar transcendente ? 
sigo os ensinamentos do Mestre ,
a palavra em acção no sangue do irmão
seja ele o desconhecido que nunca vi, mas tem sêde ...
e ouço dizer da embriaguês lúcida de Paracelso,
e embriago-me nas suas doses,
que só de pensar curava,
porque amava(amou e ama) o próximo.
sonho, sonho com o dia do despertar, 
e desperto já em sonho transformado,
oro, leio, oro, releio,
(ah, se eu soubesse orar quando a leitura queima meu olhar!)
meus olhos teriam mais luz do que qualquer estrela
para a verdade da antiga (nova) consciência,
mas a lucidez para ser o maior bem do mundo
deve nascer antes de nós no renascer dos históricos taumaturgos
e não me importava em ser muda, de boca selada,
e surda para cantar d´outrora a imagem do corpo
gravado numa só carta e cartada em cores 
d´arte que abraça o mundo ....

(Se eu fosse imagem de Tarot
qual o feminino do destino que é fortuna, prémio!
para o meu nome ?
posso assinar ?

(escutas o som leve
para não te sobressaltar
dos meus dedos transpirando ansiosamente
humedecendo-emudecendo ...?)

assinando ... 

Autor:
- La Madrugada!




Luiz Sommerville Junior, 22/03/2014 - 140920140857

Resposta-comentário ao poema da minha Dani em 22/03/2014

reeditado ontem (apenas o final) no Luso Poemas


Por Um Pedaço De Terra - "O Clube Dos Poetas Mortos", III

Postado: Luiz Sommerville Junior On domingo, setembro 14, 2014 0 Carinhos de Luxo

O rodopio forte da ventania
naquele lugar sem paternidade
fez desaparecer na atmosfera
as letras do poeta
de seguida ...
a chuva ! implacável !
um caminhante
que por ali passava
sentiu-se loucamente embriagado
pelo aroma irresistível
da terra húmida
e com um largo sorriso no rosto
clamou:
- este é um bom terreno
para semear poemas .


Luíz Sommerville Junior , 221220120023, in Tu Cá, Tu Lá

Reeditado 13-09-2014 18:57:37


Por Um Pedaço De Terra "O Clube Dos Poetas Mortos", II

Postado: Luiz Sommerville Junior On domingo, setembro 14, 2014 0 Carinhos de Luxo

Por Um Pedaço De Terra "O Clube Dos Poetas Mortos", II

O poeta morreu
seus cabelos caídos
em caminhos dispersos
ao longo duma rota sem destino
caligrafaram a morte
depois
caíu de joelhos
sumiu ...
na terra
onde seus ossos lavraram
a sentença invisível :
- aqui jaz o meu nome ...




Luíz Sommerville Junior,  201220122340, in Tu Cá, Tu Lá

Reeditado,13-09-2014 17:39:13


Por Um Pedaço De Terra - "O Clube Dos Poetas Mortos", I

Postado: Luiz Sommerville Junior On domingo, setembro 14, 2014 0 Carinhos de Luxo







Por Um Pedaço De Terra - "O Clube Dos Poetas Mortos", I



O poeta morreu
a poeira imprimiu em seu corpo cansado
a caligrafia gelada do último verso
pequenino no adeus que o levou
nem uma lágrima rolou
na morada onde a chuva se despedia
os guerreiros medievais , as cruzadas
a imensa legião de combates
em prol dum pedaço de terra
sumiram por uma frincha do tamanho
de seus olhos fechados...


agora já podia descansar...

já não era poeta ...

LSJ, 2608201002:21, in Luso Poemas e Tu Cá , Tu Lá


Sempre *SD*DS* erpmeS

Postado: Daniele Dallavecchia On sábado, setembro 13, 2014 0 Carinhos de Luxo




Esta noite,
em que os anjos
nos ouviam atentos .
o andamento do poema suspenso,
semeadores da hora certa
mergulhou na tua boca,
saboreando pela primeira vez
o sabor das estrofes,
que pulsavam no teu corpo amado
buscando a rima do teu coração,
prosa, quadras, letras, versos
ou o coração
simetricamente batendo com o teu
escrevendo sonetos
de rima perfeita
no regaço
que me acolhe à luz infinita
da tua estrela

Sommerville & Dallavecchia

Fonte: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=201415#ixzz3DAR6BsyX

Publicado: 08/10/2011 15:40  Atualizado: 08/10/2011 15:40


"A Última Imagem" - Amor Imortal II

Postado: Luiz Sommerville Junior On sexta-feira, setembro 12, 2014 0 Carinhos de Luxo

eu queria 
em lápide
o epitáfio
da derradeira madrugada
prévia do abismo
sem flores
noite imortal
ausente d´estrelas
em chão
céu da boca
onde
todas as letras
liquidam
a palavra


(e nas nuvens
em valsa de cabelos brilhantes
“a menina que amava o poeta”
movimentando a luz
do único paraíso:
 – ela !)




Luíz Sommerville Junior, 110920142302


Uma Questão de ... Tempo

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, setembro 08, 2014 1 Carinhos de Luxo


Afogo a dor involuntária
trocando lágrimas por um trago
do teu whisky preferido...
sabor enriquecido pelas datas
-épocas dos nossos elos doirados!
brilhos, reflexos multicor em nossas mãos
- juradas e assinadas, cumpridas!
nos apelidos trocados, permutados
dias que são de nós, paternidade!
ó terna e doce imagem
que és corpo musical, real!
e
adormeço nos teus braços,
ó meu destino! tentando compreender
onde queres me levar
assim de mãos tão apertadas
com este andar
ora lento, ora apressado
o que há nesse teu relógio
de cordas tão descompassadas?
por que é que o teu ponteiro
sempre busca uma razão?
se és dono do tempo
- meu e teu -
por que esse medo,
por que esse tic-tac tão ateu?
és menino e Imperador
és atemporal
e também jaz no tempo...

E não há número mais poético
nem livro mais virgem
do que …
o teu dia questionando
o eu … de teu:
- quem és afinal?
nessa hora...
todas as horas???


(um pássaro de mil e uma luzes 
em milhares de movimentos harmoniosos 
difundindo holografias
no aroma matrimonial das doze noites…)


abrindo
fechando
)
o símbolo
(?)







Jo e Dan, dueto, 070920142025






Ao Longo - Requiem

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, setembro 08, 2014 0 Carinhos de Luxo


Terra
ao longo dum ponto cravado no infinito
Água
ao longo do pesponto da vida
Ar
invólucro dos corpos,
interior da matéria
Céu,
ao longo dos elementos que existem,
inquestionável,

E, cerrando os olhos
paralisando os punhos
cegando a voz
suicidando os ouvidos
ao longo deste meu mar
- epiderme ou lençol
que é leito,desfeito, do que fui...
sem almofada para repousar o topo da montanha
cérebro !
descalço por opção única ,
alternativa inferior ausentada do espelho
atropelo da saudade fatalmente ferida

ó, há lágrimas cortando a superfície ,
congelando a bússola que orienta os pássaros ! ...

Sou feito de vinte e quatro horas
em cada minuto apaixonado
pelo príncipe destituido do trono , segundo !
ah , relógio onde aprendi que o meu aeiou
é pulso redondo imobilizado
olhando com encanto as duas agulhas, girando ...
sobre a intersecção dos algarismos
desenhar-vos é alcançar a foz, aberta !
ó espanto do que é simples !

Sou carne do dia
em cada noite onde o cortejo dos pequeninos
meninos dormindo ...
abrem os livros no capítulo onde as fadas
semeiam pais e mães gritando às velas
pela pátria sem fronteiras em acenos mágicos
que tingem de vermelho as bandeiras brancas ...

Terra,
ó terra ! ...
um copo do teu vinho, tinto !
seria a mais sublime salvação

Água, ó água
um gole da tua liquidez, leite !
seria a perfeita hidratação

Ar,
um átomo do teu cortejo, cristalino !
seria a mais pura regeneração

Céu , ó céu
um beijo teu ...
seria oiro sobre azul
redenção !

Boca , ó boca...

Sim , sou feito de relógios ...
que são ... um só tempo ...
que são ...

os ...

teus ...

lábios ...


Luiz Sommerville , 030120110501 , A Madrugada Das Flores


Inês de Portugal - Nesse Lago Tão Quieto

Postado: Luiz Sommerville Junior On segunda-feira, setembro 01, 2014 2 Carinhos de Luxo


Tu
que és tão grande
que eu não consigo ver-te
que és por cima
dum céu
vermelho de flores que chora
o verde vida das pétalas em ferida
neste silêncio
em que
"todos os barquinhos
cansaram de nadar"
dizes-me
por que dormes
eternamente
nesse lago tão quieto
por baixo
deste mar?




Luiz Sommerville Junior, in memorian

01 de Setembro 1929 - 04 Junho de 2013