Távola De Estrelas

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

jar

Postado: Jorge Dallavecchia On sexta-feira, setembro 02, 2016 0 Carinhos de Luxo



Postado: Daniele Dallavecchia On domingo, fevereiro 28, 2016 0 Carinhos de Luxo



Havia ainda aquele encanto
controlando os seus passos
Havia ainda aquele olhar
que ele fazia com amor, tanto!
E era impossível não violar
sua alma e pensamento
prender seu corpo cansado
naquele tormento vivo de amar.
Havia nela uma prisão
onde habitava o cheiro dele
e não havia para onde fugir
sem despedaçar a pátria
a vida, o coração, o sorrir
Ela disse adeus a si mesma
e pôs-se a cantar a tristeza
em versos de amor,
de tanto sentir
e ela propôs-se a morrer
por ele, pela vida que sonhou
por tudo o que lutou
e ainda, por aquilo que se foi
e nunca mais voltou.


Daniele Dallavecchia


Barquinhos de Papel (in Fevereiro)

Postado: Daniele Dallavecchia On quarta-feira, fevereiro 03, 2016 0 Carinhos de Luxo



Sabes , meu doce amor ,
quando fui criança, a rua carregava em seus ombros
os belos rios que a chuva de Fevereiro
espalhava ao longo das alamedas povoadas de frondosas árvores,
na sua parte mais alta nascia o encanto duma viagem
construída pela imaginação de pequeninos Vasco´s da Gama
colocavam-se as canoas construídas com as folhas em branco
dos cadernos escolares
que num ápice venciam as ondas rasas,
enxurrada dos céus,que rolavam desenfreadamente pela calçada
eu desatava a correr , seguindo com dificuldade, a rota delas ,
até ao ponto em que o caudal estreito se alargava
formando uma enseada, espelho d água, onde todos os navegadores
paravam maravilhados, em contemplação!,
por haverem conquistado no meio da tempestade
a serenidade, a paz de espírito e a alegria
apenas ...
com um barquinho de papel ...

Se hoje chover... com páginas da Bíblia
erguerei" pescadores da barca bela"
 sobre todos os jardins que choram,
só para sentir o júbilo crescendo
no sorriso das plantas e flores
talvez, em prece de milhares de livros sagrados,
pois duma só página deles quero
o pouco(inestimável) da lei maior
"o maior mandamento é o amor"
e assim , das caravelas que os professores
me ensinaram a construir ,
utilizando papel, cola e tesoura ,
se farão centenas de corações, pequeninos e frágeis ...
que são barcos rumando para o regaço de Vénus
que são formosura e delicadeza a caminho do esplendor
sim , eu sei , meu doce amor , amor perfeito,
que o papel do barquinho em tuas veias navega em forma de laço
será que Álvares Cabral sabia
que a blusa vermelha deste meu sangue
é pertença do teu querido peito?

Luiz Sommerville Junior(JorgeDallavecchia), 140220121014


Louíse

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, janeiro 18, 2016 1 Carinhos de Luxo



Eu bebo porque é noite de chuva 
e a saudade me agonia
Bebo o trago de amargura 
que faz lembrar a perda da tua companhia
Bebo a noite fria
Bebo o tédio do dia
Bebo porque te perdi
No instante máximo da nossa alegria
E quem poderá me condenar
o cárcere de ter conhecido
Todo o teu eu
e ser feliz
E quem poderá me acusar
De matar-me um pouco a cada dia
só para ter o que na vida
sempre quis....

Daniele Dallavecchia



Followers