Távola De Estrelas

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Camus

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, janeiro 16, 2017 0 Carinhos de Luxo

Resultado de imagem para albert camus



Teu rosto,
arranhado pela passagem do tempo
abriu-me um novo horizonte,
um novo coração
e te amei em todas as tuas falhas,
em todas as tuas vitórias,
e chorei a tua dor e ri contigo
nas linhas todas que a tua mente
dedilhou...
E segui-te por todos os lugares
que sonhastes
fui contigo em tudo
e nunca te encontrei
vieste muito antes
e me adivinhaste
descreveste o meu avesso, o meu pior,
aquela que eu nem conhecia
entre todos
havia eu
Foste tu, meu amor,
o primeiro a não me olhar nos olhos,
e o primeiro a me jogar todas as verdades
na cara
me magoaste
mas absurdamente me amaste
viste a bravura
da minha vida em muitas vidas

perdeste a tua
sem saber, sem querer, sem crer
e eu encontrei a minha
nas tuas palavras de dor
encontrei a minha vida

e soube desse outro
jeito teu
de falar de amor


Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, janeiro 16, 2017 0 Carinhos de Luxo


Resultado de imagem para relogio de pintores famosos


O tempo me cobra felicidade, 

e a felicidade me pede tempo.



Távola de Estrelas


O Linho Das Serenatas

Postado: Jorge Dallavecchia On sexta-feira, janeiro 06, 2017 0 Carinhos de Luxo



O Linho Das Serenatas

Ainda é Sábado, meu amor,
são assustadoras as bonecas
gigantes !
eu tenho medo delas
apenas quero uma boneca pequenina
tão pequenina
que caiba por inteiro
na pontinha
dum fio do meu cabelo!
és tu, amada,
esse grão de coisa certa
um quase nada na sua imensidão
um quase tudo nessa vastidão
um tudo erradicando o quase
como medir o comprimento do teu sorriso?
como apalpar a profundidade do teu respirar?
como ver a extensão da tua voz?
Porque
eu , minha vida ,
apenas quero uma boneca pequenina
tão pequenina
que caiba por inteiro
na pontinha
do meu mais pequenino cílio
e depois ,
depois , cerrar os meus olhos
e com a medida exacta do teu sorriso
no meu pensamento
entregar-me
ao teu corpo coberto de serenatas
sumindo numa qualquer ventania
amarrando-me à cintura do teu arco
do tempo onde o vento namorando
e se enrolando à prega que te vai despindo...
joga continhas de luz
nos poros da tua pele sedosa
uma explosão cristalina
de diamantes aquáticos
águas do teu sal
eu sou menino , sabias ?
e que vejo eu ? tudo o que não sei dizer(te)...
sigo sonhando , lembras-te ?
e a tua chuva matinal
banho de rosas
toalha de espuma
transpira-me !
sufocando , agora ,
caindo nos teus lábios
esta hora  ...

( procurando os óculos que me querem ver
 virados para a tua rua …)



LSJ , 0409201019:09



Leopoldo

Postado: Daniele Dallavecchia On segunda-feira, janeiro 02, 2017 0 Carinhos de Luxo

Resultado de imagem para era vitoriana casal

Sabe meu corpo do cansaço que o habita
o caos, a dor e a solidão fria desse marfim
Sabem os deuses desta minha alma aflita
e não sei eu:- por que tudo ficou assim?

Procuro teu amor em cada palavra escrita
Nos versos que um dia dedicastes a mim
e desta rotina cinza, fico ainda mais cativa,
lembranças do amor que um dia disse sim.

Estou presa ao que restou da nossa vida
Choro! Não sei onde vou e para quê vim!
Passagem comprada às pressas só de ida

para a estrada da paixão, vestida à carmim
desesperada, lancei-me a ti como menina
agora o destino ri minha dor, eis meu fim!


Daniele Dallavecchia 01.01.2017


Followers