Távola De Estrelas: Abril 2012

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

O Céu Da Minha Boca

Postado: Luíz Sommerville Junior On domingo, abril 22, 2012 5 Carinhos de Luxo

Este dia sem ti,
meu doce amor,
meu triunfo da boca
que quero desenhar mãos na tua língua
açucenas no estremecer do coração
ou poemas nas turbinas dum avião!
eis que te beijo no ver do que nunca vi!
sentada num piano
escrevendo beijos no pavio duma vela
musicando o selo que sela a carta que envia
o elo da tua sagrada chancela
mas este dia sem ti, meu doce amor,
redige tudo o que eu nunca escrevi...

(querida, sim , sou eu , pensando na tua letra capital!)

LSJ, 2408201004:31


A Árvore E Os Ramos

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, abril 19, 2012 0 Carinhos de Luxo

Guardo de ti
a inocência poética
neste silêncio
em que por adorar-te
o meu corpo cumprindo a ordem
do cérebro do qual
somos galhos da mesma árvore
se abstém
dolorosamente
de gravar o teu nome :
é omitindo-o com respeito e pesar
que o sangue se honra
- em homenagem .

(Aos olhos é roubado o retorno à felicidade)

Dedicado a minha tia Adélia


JouElam , 19042012







PS: creio que escreverei tarde demais as palavras que tu
sempre mereceste , é insuportável esta minha falta de
"engenho e arte" na hora mais crucial . Agora , resta todo
o tempo do mundo ... para não (nos) ouvirmos mais ...
Talvez o Céu seja o lugar de toda a poesia ...
Subscrevendo com amor o apelido da nossa génese , Pereira!


JouElam , 19042012




Despertar cinzento

Postado: Daniele Dallavecchia On quinta-feira, abril 05, 2012 3 Carinhos de Luxo



Estrelas caem garoando o céu

com as lágrimas de saudade que sufocam,

a dor se esconde por detrás do véu,

românticas vivem de amor e não suportam

a distância que amarga a vida com fel...

Minhas mãos fracas buscam tua face adorada

e meu peito frágil suplica teus braços,

sinto minha alma sucumbir na alvorada,

desde o dia em que acordei dos teus abraços...



Elise 

03-09-2011