Távola De Estrelas: Maio 2012

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

Da Resposta ao teu Amor

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, maio 30, 2012 0 Carinhos de Luxo


E se sou ainda
como uma criança boba
querendo chamar a tua atenção
no meio de uma noite triste,
é porque o que em mim existe
são todos os teus carinhos
impressos nas tuas cartas de amor
guardadas na caixinha bordada
da minha memória de menino
exalando aromas na derme
completamente apaixonada
por ti, meu amor, minha poeta.

Te amo!

Daniele Dallavecchia, 290520122334


Com grãos d´areia se erguem castelos

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, maio 30, 2012 0 Carinhos de Luxo



Exactamente
quando o sol rasgou o teu vestido
o mar circundou o teu umbigo
na carne que te tece
o tecido que me mexe
e quando
já parecia
que o pavio se acabando , esmorecia ...
eis o apogeu
do astro
ao meio dia !


À Dani com todo o amor

Teu Jo


Lolita

Postado: Luíz Sommerville Junior On quarta-feira, maio 23, 2012 0 Carinhos de Luxo


Teus olhos fixos,
a boca molhada,
tuas mãos insistentes...
essa língua incandescente,
Sinto-me tão desejada
que de tão beijada
traduzo
Lolita
e me deixo seduzir
pelo teu A B C
do amor
meu mestre, meu homem...
e, pousada no suspiro das tuas ternuras
arrepiada pelo enredo das tuas loucuras
sou pequena, média, grande
sou inteira
loira, ruiva, morena
sou teu vinho
e me deixo saborear
só para me perder no teu paladar
inebriada pelo aroma
do teu prazer
onde teus poros
arrepiam-se
e a tua carne se une a minha
em êxtase,
num tangoem frenesi
dos nossos corpos,
onde completamente tua
recebo o teu Champanhe ...
brindando ao nosso amor!

Daniele Dallavecchia 23052012, 15:08

 


Juliet (Do final feliz que a história ocultou)

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, maio 21, 2012 0 Carinhos de Luxo


São aqueles instantes
-os detalhes que ninguém repara-
onde me acho, onde te vejo,
onde o medo não é nada,
entre um carinho e um beijo
acolhida no calor dos teus braços:
- meu amor, meu pai, meu irmão -
descanso a alma no teu peito,
minha mais perfeita morada...
O roçar da tua barba no meu rosto,
o apertar do teus desejos, tesos!

E quando todos torciam
pelo desencontro
meu corpo e o teu fecharam-se
no perfeito encaiche de nós dois
e o para sempre
nasceu de vez em nossas bocas
e o talvez morreu na esperança
dos braços da tristeza que nos queria
carne morta, sangue e dor.
Nunca um coração bateu
num ritmo tão perfeito
e irmanado - nosso -
E se modo ainda
a loucura propunha ao mal
de nos querer separar
-morte então aos dois
que um só são, havia de encomendar!
porque quando a minha letra capital
uniu-se a tua
no céu houve grande recital,
era a primeira vez que duas lágrimas
perdidas
se encontravam...

Se me desespero em prantos,
é porque sei que nem todos os dias serão santos
e como poderia eu, um dia ainda viver
se teus olhos para sempre
não me pudessem ver?

E quando
Caronte, a zombar vier,
cobrar a moeda que não é vida,
seja lá como for,
não te esqueças de mim
meu grande e eterno amor...


Daniele Dallavecchia, 21052012
com todo o meu amor para Jo


Despertador

Postado: Luíz Sommerville Junior On sábado, maio 19, 2012 1 Carinhos de Luxo




Haja tempo
e o ventre das flores
há de parir relógios
em todas as madrugadas


JouElam , 200120121401


Chaves Perdidas Das Portas Horizontais

Postado: Luiz Sommerville Junior On sexta-feira, maio 18, 2012 0 Carinhos de Luxo





Houve um tempo
em que ninguém amava
o sorriso tristonho do pedinte
suas roupas esfarrapadas , rasgos de panos
emprestados pela beneficência anónima
o mais que provocavam na miséria doirada
dos nobres que se degladiavam por o primeiro lugar
perto do altar dos Congregados
era uma moeda que dizia :
não te atrevas a entrar na igreja !
já viste como o chão dela brilha ?
e o desgraçado , olhando os seus pés calçados ,
com sapatos sem solas , erguia ao céu enovoado
do brasão nobre de invicto
um sopro murmurado d´aceitação :
- sim , meu senhor !
Mas esse tempo findou ...
já não há miseráveis ...
morreram todos!
e ninguém sabe
em que vala enterraram os seus despojos
e ninguém sabe
qual o velório que o representa
e no tempo que há
ou sobra ...
aguardam-se corpos
para as vestes rasgadas e sujas ...


Luiz Sommerville Júnior (heterónimo), 170520121149
O regresso de Poesia Contra o Crime


"I HAVE A DREAM" III

Postado: Luiz Sommerville Junior On sexta-feira, maio 18, 2012 0 Carinhos de Luxo


Não trago no peito
os mundos infinitos
que são calçados
com o bater suave dos pés
- como se fossem asas -
duma galáxia de crianças
riscando o espaço
com o sorriso lindo d´iluminado
somos felizes
porque adoramos o que amamos
afinal são guerras de luz
batalhas coloridas
num dançar de constelações
que eu
não trago no peito
porque
a trajectória pura que canta
os sons que atravessam
as alamedas de todas as infâncias
é em ti !

JouElam, 1705201222:56


Da expressão dum querer

Postado: Daniele Dallavecchia On quarta-feira, maio 16, 2012 0 Carinhos de Luxo



Assim sou,
como santo que peca,
e se lava nas próprias lágrimas,
inocente martírio,
calvário infantil,
olhos que ardem
(à luz do amor)
via muda e cega
duma alma incerta,
cortina de letras
analfabetas de paixão...

Sou feito rude chão
sustentando a casa
esquecida dos meus sonhos...

Sou o amor naufragado
em desencantos,
perdido no desejo
de cantar a música
infalível dos deuses:
senhores dum cortejo
de ninfas...

Mas eu,
eu...
apenas sou o querer
que ainda não aprendeu
e se expressar.


In Profundis

Postado: Luíz Sommerville Junior On segunda-feira, maio 07, 2012 1 Carinhos de Luxo



Amo-te
porque é infinito
o perfume,
a minha essência da Índia
que és
Amo-te
e são infindos os motivos,
que não pedem interrogação
ao meu coração feliz,
por ser teu!
Iluminada é a candura da tua derme
em cada poro que verte o aroma do teu adn
transpirando gotas de luas cantabiles
Na tua pele há milhões de olhos
que revelam a claridade
do teu amado corpo
respirando pronomes.
Bem que tu poderias escrever
um poema com os segredos
que casam nossos ventres:
eu, tu, nós,
há estrelas em vertigem,
e noites de tonturas ...
que se deleitam
quando (nos)adormecem...


E os nomes em sufôco
quase a desmaiar...
verbos em orgasmo



À Dani com amor


JouElam , 070520121841


Do nosso calvário

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, maio 01, 2012 0 Carinhos de Luxo


No chão do céu
onde tocam os sinos
pendurados na tristeza das Igrejas
soam as lágrimas
dos cristãos desassistidos,
do Padre esquecido
da nossa crença caduca.
E lá no calvário
Cristo chora
a dor do nosso futuro
é a agonia semi-igual
do Santo na Cruz.

Quem será o salvador duma nação
que dia-após-dia se reduz em desilusão?...

Daniele Dallavecchia,  0105201219:35


Da Perfeição

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, maio 01, 2012 0 Carinhos de Luxo


Do amor conheci
sentimentos certeiros
que no corpo ergui
e perdi-me em desespero.
No amor percebi
minha imperfeição,
porque toda a dádiva
é perfeita, então vi
que de todos os defeitos
que conheci
o não amar nada nem ninguém
é a mais triste imperfeição.

(Sim, o amor é perfeito!)


Daniele Dallavecchia, 3004201221:57