Távola De Estrelas: O Delírio Dos Poetas

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

O Delírio Dos Poetas

Postado: Luíz Sommerville Junior On quinta-feira, janeiro 24, 2013 1 Carinhos de Luxo



Havia
um poeta
que ñão era
poeta
era a sombra
da sua caneta
pena
tinta nanquim
manchando o papel , a preto !
golpeando a carne , das árvores !
com seus devaneios , existenciais !
rios caligráficos , das feridas !
inseridas nas páginas , cadernos !
aflitos por uma suturação , poética !
mas ...
o poeta
que não era
poeta
escrevia para matar , a morte !
acendia estrelas no fundo , do mar !
apagava águas no cume , da luz !
depois ...
depois queimava , a lágrima !
com a emoção , peregrina !
e saía , para a rua ...
com a alma gelada , de nua !
por fim ...
deitava-se sobre o jardim , curvado !
prestes a cair , em cima !
do outro lado do mundo ...



Luíz Sommerville Junior , 160920100217

Categories:

1 Response for the "O Delírio Dos Poetas"

  1. Querida amiga
    Querido amigo

    Diante de tão belas palavras,
    e vendo o mundo
    com o olhar da poesia,
    só resta ler
    e reler tão belo poema...

    Que todos os dias
    os sonhos nasçam em ti,
    como nasce o sol pela manhã...

Postar um comentário

Beijinhos