Távola De Estrelas: O Silêncio

Távola De Estrelas

Poesia Do Céu Da Boca

* Sempre DS*SD erpmeS *

Távola De Estrelas, Poesia Do Céu Da Boca, Para Mastigar Devagarinho, Deve Ser Servida À Noite E Acompanhada Dum Bom Vinho Tinto...

O Silêncio

Postado: Luíz Sommerville Junior On terça-feira, abril 02, 2013 2 Carinhos de Luxo

Jaz
a manhã gregoriana na revolta dos genitais
regaço onde o tempo extingue
a origem do tu és,
apesar da resistência em consequência amiga
do “ainda sou” *
ancorada na escuridão que de alucinada
faz renascer a tua voz – sem som ...

Jaz
a tarde sobre a dobra do mar
na linha queimada pelo pôr-do-sol
sem horizonte ...
em loucura furiosa ejacula
a última menstruação d´estrelas
de todas as ausências
que me esvaziam
ave (des)falecida algures noutra morada
agora que a noite é trovoada
a minh´alma ou vida espera-te
em vão ...



Luiz Sommerville Junior , 280320132359

* Leia também Ainda sou do amigo Sampaio Rego

Categories: , ,

2 Response for the "O Silêncio"

  1. E do caos nascemos, aquele caos cheio de amor em que os pais, no encontro das carnes nos concebem, nos dão origem. E no caos nos também nos deixam quando partem. No caos da tristeza, da saudade, das perguntas sem respostas. Mas é neste caos, meu amor, que devemos mais uma vez, aprender, compreender, crescer, saber viver. te amo muito. beijo.

  2. Querida amiga e querido amigo.

    Há algo de mágico
    nas palavras tristes.
    Une pessoas distantes
    pelo mesmo sentimento.
    Pela lembrança de histórias
    vividas.
    Pela saudade de um sentimento
    muito desejado...

    Acorda a alegria em ti,
    como quem acorda uma pessoa muito amada...

Postar um comentário

Beijinhos